Siga nossas redes:

Resenha – Sway

Publicado em 30 de novembro de 2016
- Sem classificação

Livro: Sway | Autora: Kat
Spears  | Lançamento:
2016 | Editora: Globo
Alt | Páginas: 256
Classificação do Skoob: 3,7 |Onde comprarAmericanas
| Livraria da Folha
*Livro do acervo pessoal
Olá,
pessoal!
Estou
aqui pensando sobre Sway. Acredito que ele seja aquele tipo de livro que não
consegue se manter num meio termo por muito tempo. Penso que é o tipo de
história que ou você gosta, ou não gosta. E acho engraçado pensar desta forma,
porque até agora ainda estou numa espécie de limbo literário no que diz
respeito à leitura.

A
obra conta a história de Jesse Alderman, um adolescente que está no último ano
do ensino médio, passou por situações difíceis e acabou se apaixonando pela boa
moça e incrivelmente linda, Bridget. Lendo isso a gente poderia pensar que se
trata de mais um livro sobre o rapaz de ouro, que tem traumas e está quebrado e
que se apaixona pela menina mais bonita da escola e faz de tudo para ficar com
ela, certo? Não. Jesse vai na contramão desse estereótipo de bom moço.  Vou explicar o motivo.

Sway,
como o protagonista é conhecido, é aquele tipo de cara para quem você liga
quando precisa de algo. Álcool, drogas, trabalhos escolares… Qualquer coisa.
Se for bem recompensado, Sway pode conseguir tudo aquilo que você deseja. Para
isso ele mente, manipula, distorce situações, humilha pessoas, se comporta de
maneira tão fria a ponto de cogitarem a possibilidade dele não ter um coração.
É por conta de um desses acordos que ele conhece Bridget. O grande problema é
que, ao invés de somente promover o envolvimento dela com um jogador idiota,
Sway acaba se apaixonando pela menina.


A
narrativa acompanha o dia a dia do protagonista, mostrando todo o lado obscuro
do ensino médio. A autora optou por dar mais destaque a Sway e por isso o
acompanhamos em todas as suas jogadas sujas, inclusive aquelas que ele faz
pensando em realizar algo de bom. A mocinha mal aparece e quando o faz, não é
capaz de acrescentar muita coisa à trama. No fim das contas o livro acaba sendo
praticamente sobre um jovem brilhante, com um gosto musical bem refinado, que
finge não gostar de ninguém, mas que no fim das contas talvez seja somente mais
um garoto perdido e sem limites.
De
maneira geral, não gostei do livro. Achei que talvez a intenção da autora tenha
sido mostrar que o ensino médio não é esse mar de rosas que muitos YA pintam.
Talvez ela tenha pensado em criar um anti-herói que seria capaz de fisgar o
coração de todos que percebem suas boas intenções por trás de cada atitude
mesquinha ou premeditada. Talvez ela tenha pensado em criar um personagem que,
embora seja detestável, fosse capaz de deixar o leitor pensando que mesmo assim
vale a pena se apegar a ele. Será? Comigo não funcionou.

Achei
o Jesse chato, insuportável, embora deva confessar que seu gosto musical tocou
meu coração. Não engoli a tentativa de redimir o mau caráter, pelo contrário,
achei muito forçada e desnecessária. A protagonista, se é que podemos chamá-la
assim, até tinha algo de bom pra oferecer, mas infelizmente quase não apareceu.
A história conta com diversos personagens secundários legais e minha avaliação
desse livro foi feita pensando somente neles. Caso contrário, não sei nem se eu
teria ficado com dúvidas sobre gostar ou não da obra. 

“No
mundo real, a Bela não se apaixona pela Fera e vive feliz para sempre. No mundo
real, a Fera transa com a Bela. A Fera quebra o coração da Bela. A Bela entra
num comportamento autodestrutivo como dormir demais nas aulas da faculdade,
aumentando assim o impacto emocional negativo provocado pela Fera. Era uma
história triste.”
Indico
o livro para quem gosta de histórias que nada tem a ver com conto de fadas.
Para quem não se imposta de ter um protagonista detestável narrando seus dias.
Para quem não espera grandes emoções ou reviravoltas. Para quem não cria
expectativas sobre a leitura. Para quem não se importa de correr o risco de
amar ou odiar o livro. Ou, quem sabe como eu, permanecer no limbo literário.
 
Sinopse: Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para
conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar
trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola,
arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou
ilegais… É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de
futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que
Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito
politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho
mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget
desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em
toda a sua vida.

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Francisca Elizabete

    Sway ( não conhecia esta gíria)!! O livro parece conter uma estória intensa, Jesse carrega uma carga emocional negativa muito grande sobre si, achar que não merece a felicidade, se fechar para os sentimentos bons!! Ainda bem que ele conhece Bridget e seu irmão, e passa a ver a vida, as coisas com outro olhar. Penso que este livro fará os leitores refletirem sobre o que de fato vale a pena na vida, e a amizade contribui muito para isto!!

    3 de dezembro de 2016 às 12:33 Responder
  • Coleções Literárias

    Olá.
    Não conhecia o livro, mas achei a capa linda e essa foto ficou MARAVILHOSA parabéns.
    Eu confesso que embora você não tenha curtido o livro a premissa me agradou bastante, espero ter oportunidade de ler o livro e tirar minhas proprias conclusões, mas eu amei sua resenha e parabéns pela sinceridade, isso é muito importante.
    Confesso que sua resenha me deixou receosa em relação ao livro, mas acho que eu posso curtir, mesmo com uma personagem detestável narrando seus dias kkkkk
    ótima resenha.

    5 de dezembro de 2016 às 03:03 Responder
  • Camila

    Oi, Krisna.
    Já tinha visto esse livro por aí, mas ainda não tinha lido nada a respeito dele.
    Adorei a sua resenha e depois de todos os pontos que você apresentou, acho que esse livro também não vai me agradar. Não gosto desse tipo de personagem mal exemplo!
    Beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

    5 de dezembro de 2016 às 15:03 Responder
  • Michele Lopez

    Olá,
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre a obra e confesso ter ficado meio em dúvida se pretendo ler ou não.
    A premissa até que é interessante e acho que a ideia da autora de mostrar que o ensino médio é uma porcaria acabou não funcionando muito bem.
    Fiquei intrigada para conhecer o gosto musical dos personagens!

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    5 de dezembro de 2016 às 17:37 Responder
  • Thayenne Carter

    Olá,

    Ainda não tive a oportunidade de ler este livro, mas pelas resenhas que já li, acredito que irei gostar super da história. E outra adoro livros que se passam no High School *—–* Compreendo suas ressalvas, porém é um livro que me atrai, espero que eu goste da obra, não pretendo lê-la por agora, pois estou onda mais de new adults, mas pretendo sim, lê-lo em breve.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    7 de dezembro de 2016 às 20:56 Responder
  • Carolina Ramires

    Olá!
    Que pena que o livro não te conquistou! Tive a mesma sensação sobre ele, acho que essa foi a intenção da autora, mas ela não conseguiu trabalhar bem o enredo, uma pena!
    Beijos.

    8 de dezembro de 2016 às 16:39 Responder
  • Cidália Maria Milani

    Oi!
    Achei as fotos lindas, mas o enredo não me agradou. E suas impressões sobre a leitura me deixaram com um pé atrás. Portanto, acredito que não leria esse livro.
    PS: Gostei da sua sinceridade.
    Beijo!

    9 de dezembro de 2016 às 01:40 Responder
  • Rafael Botter

    Olá! Fiquei meio que divido, ler ou não ler, eis a questão rs. Mas você deixou uma resenha bem clara e quero acompanhar essa história e os personagens que me chamaram atenção. Já vou marcar na minha lista de desejados.

    9 de dezembro de 2016 às 21:52 Responder
  • Blog São Tantas Coisas

    Depois de todas essas suas impressões passadas do livro, depois de tudo que disse, depois do dialogos que vi que encontrarei o livro, você conseguiu me instigar em ler esta obra. Acho que sim, ela merece uma chance.

    10 de dezembro de 2016 às 21:41 Responder
  • Licavargas

    Sua resenha me fez pensar em duas coisas…
    Primeiro que eu imaginava algo completamente diferente do livro – é a primeira resenha que leio e até então nem tinha lido a sinopse… Essa coisa de julgar pela capa e um ou outro quote…rs
    Segundo, me pareceu que a autora teve uma grande ideia mas não soube como colocar ela direito nas páginas. Talvez funcionasse melhor se fosse um cara escrevendo sobre o garoto, talvez se a autora utilizasse uma personagem feminina como principal… Ou, talvez, se ela desse um pouco mais de destaque aos personagens secundários já que eles parecem o melhor de tudo…
    Eu ainda tenho vontade de ler, é claro, mas a vontade é maior por eu curtir livros que ou a gente ama ou odeia…rs
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    12 de dezembro de 2016 às 03:43 Responder
  • Deixe uma resposta