Siga nossas redes:

Resenha – A Sombra da Rosa

Publicado em 17 de março de 2017
- Sem classificação
 Conto: A Sombra da Rosa | Autora: Babi A. Sette | Lançamento: 2017 | Editora: Amazon | Páginas: 100
| Classificação do Skoob: 4,7 |
Onde comprar: Amazon
*E-book do acervo pessoal –
Disponível no Kindle Unlimited
Olá, leitores
e leitoras inquietas. Como estão?
Hoje trago mais uma dica de conto para vocês. Desta
vez é um spin off do romance de época, nacional, A promessa da Rosa. Por conta
dos spoilers é recomendável que o livro tenha sido lido antes, Ok? Caso ainda
não conheçam a história, ou se já leram e querem relembrar, temos resenha dele aqui.  

Quem é fã de romance de época sempre inicia a
leitura tendo uma coisa em mente: haverá um final feliz. É uma característica do
gênero, portanto, algo que a gente tem como certo independente do que aconteça
antes disso. Tragédias, dramas, mal entendidos, brigas, enfim, tudo de ruim que
acontece em um romance de época está ali para tornar o final feliz ainda mais
desejado e bonito.

“Arthur fechou os olhos e, por um breve momento,
tudo girou e retornou ao eixo junto a um par de olhos turquesa, lábios vermelhos
e cachos dourados vivos. A cor do mundo: Kathelyn Stanwell”.

Mas e depois do final feliz, o que tem? O que
acontece quando lemos as últimas palavras de um livro? Ou, quais foram os
detalhes necessários para que esse final feliz acontecesse da maneira que se
deu? A Sombra da Rosa é um conto que vem para sanar todas essas questões. 
 A promessa da Rosa deu aos leitores um final muito
satisfatório. Os anos se passaram e recebemos o reencontro entre Arthur e
Kathelyn como um bálsamo para todo o sofrimento e angústia que sentimos durante
a leitura. Isso porque Babi A. Sette não se conteve. Maltratou os personagens e
consequentemente seus leitores. Justamente por isso que quando o casal se reencontra e se aceita enquanto
família, a gente solta um suspiro repleto de amor e contentamento. Este conto mostra o que aconteceu antes disso. E o que aconteceu depois. O que Arthur
precisou fazer para que sua amada o perdoasse? Como se formou o laço entre ele
e o filho? O que o levou a preparar aquele jardim magnífico, como forma de
esperar pelo amor de sua vida?

“- Escute, cada rosa
deste jardim é para ela. Cada passo que dou em minha vida, cada movimento ou
inspiração, eu faço por ela… e, mesmo assim, sem ela eu vivo na sombra”.

A autora responde tudo isso. Dá aos leitores a
chance de entender um pouco mais sobre o Duque de Belmont, sobre o amor que
sente e sobre os arrependimentos que o acompanham. Mas, embora fale do que
aconteceu antes e após o “E foram felizes para sempre”, e mesmo que retome
questões que causaram tristeza nos leitores, A sombra da Rosa é um conto que etransborda amor e alegria. O tipo de
história que, mesmo curta, consegue tocar o coração do leitor e o fazer
relembrar dos motivos que tornaram Babi A. Sette uma das autoras mais
talentosas da atualidade. Se vocês leram A Promessa da Rosa, este conto é
presença obrigatória no e-reader.  

 “E
ele sorriu, deixando para trás toda a expressão aristocrática, taciturna e até
mesmo amedrontadora. A intensidade do seu semblante dava luz à suavidade.
Quando Arthur sorria, ele parecia um menino. Foi então, que os olhos amarelos e
brilhantes prenderam-se aos dela. Ainda sorrindo, Arthur a beijou, mas, dessa
vez, como um homem apaixonado beija a sua mulher”.

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Ana Luisa Ricardo

    Parece ser lindo. Adoro livros de época, e amei os desenhos desse. Que legal que a autora decidiu escrever um conto para, de certa forma, "estender" um pouquinho a história. Para quem é fã, isso é maravilhoso.

    🙂

    17 de março de 2017 às 13:47 Responder
    • Krisna Carvalho

      Ana, também achei a ideia genial. Eu sempre gosto de saber um pouco mais sobre todo o universo que o autor criou…Viveria de epílogos sem problemas! rs

      Beijos

      17 de março de 2017 às 23:27 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna!
    Não li ainda A promessa da Rosa, mas gosto bastante quando o autor(a) fazem spin off. Dá para matar a saudade dos personagens e até descobrir as pontas soltas que ficaram nos livros anteriores.
    Beijos

    17 de março de 2017 às 16:27 Responder
    • Krisna Carvalho

      Verdade, Aichha!

      Caso você goste de romance de época, a Babi é uma autora que indico 😉

      Beijo

      17 de março de 2017 às 23:28 Responder
  • Esther De Sa

    Olá, tudo bem?
    Ainda não li nada dessa autora, acredita? Mas está na minha meta e acho que vou começar pelo "A promessa da rosa".
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    17 de março de 2017 às 17:21 Responder
    • Krisna Carvalho

      Esther, tudo bem?

      Obrigada pela visita! A Babi escreve super bem. Se você gosta de romance de época, A promessa da Rosa é a pedida. Caso prefira contemporâneo, Entre o amor e o silêncio é a dica 😉

      Beijo

      17 de março de 2017 às 23:29 Responder
  • Girlene Viey

    Adoro romance de época, porém nunca tinha lido uma nacional
    O numero de paginas é bem pequenos, então acredito que vai acabar rápido, e ainda ficara com gostinhos de quero mais, pois parece ser uma obra gostosa de ler.
    Fiquei curiosa, justamente por não ter lido esse gênero nacional, quem sabe não seja minha primeira leitura. Pois me encantei pelo livro, achei lindinha a capa. Beijos

    19 de março de 2017 às 13:21 Responder
    • Krisna Carvalho

      Girlene, tudo bem?

      É curtinho por se tratar de um conto, spin off do livro A promessa da rosa. Caso queira conhecer mais da literatura nacional, voltada pros apreciadores de romance de época, super indico as obras da Babi. Com relação ao conto que resenhei, aconselho lê-lo após o livro, assim você consegue ter uma compreensão maior da história 😘

      Obrigada pela visita!

      Bj

      19 de março de 2017 às 13:27 Responder
    • Girlene Viey

      Obrigada pela dicas, vou segui-lás quando for ler essa obra

      29 de março de 2017 às 15:39 Responder
  • Babi A. Sette

    AAAAHHH amei muito obrigada! <3

    20 de março de 2017 às 21:07 Responder
  • Deixe uma resposta