Siga nossas redes:

Resenha – Sedução da Seda (As Modistas 1)

Publicado em 8 de março de 2017
- Sem classificação

Livro: Sedução
da Seda | Autora: Loretta Chase
| Lançamento: 2016 | Editora: Arqueiro | Páginas: 304 | Classificação do Skoob: 4,3 | Onde comprar: Amazon | Submarino  

*Livro do acervo pessoal

Antes de falar deste livro, preciso confessar o
seguinte: sou uma apaixonada por romances. De época, históricos,
contemporâneos… Amo o tipo de livro capaz de me fazer suspirar. Se ele vier
acompanhado de um final bem meloso, com direito a toda felicidade do mundo,
fica ainda melhor. 

 Acontece que depois de um tempo lendo romances, a gente
percebe que existe certa receita de bolo, por assim dizer. Aqueles elementos
que já esperamos encontrar na leitura. Sedução
da Seda
chamou minha atenção e me conquistou por vários motivos, mas
principalmente, porque foge um pouco deste padrão.
Encantei-me principalmente o fato da protagonista
sair do papel que comumente encontramos em romances deste estilo; a mocinha
virginal, que sonha em casar (de preferência com um bom partido), aquela
mocinha que faz uso das birras e artimanhas ditas femininas para conquistar o coração
do pretendente. A protagonista não é nada disso. É justamente o contrário. É
uma mentirosa, ambiciosa, uma guerreira. É uma mulher direta, sem melindres e
nem papas na língua. É o tipo de pessoa que sabe o que quer, o que precisa, e
faz o necessário para chegar aonde considera ser o seu lugar.

Esta é Marcelline Noirot, a
protagonista. Uma mulher forte, com um olhar único para a
moda, capaz de fazer qualquer coisa pela família, e com uma ambição grande o
bastante para competir com o seu talento nato para a costura. Marcelline traça
um plano para que sua loja tenha as melhores clientes, e para que alcance seus
objetivos, decide ir à caça.
Na outra ponta, temos o Duque de Clevedon. Um
aristocrata pomposo, do tipo que esbanja dinheiro com jogos e prazeres da
carne, mesmo estando prometido à sua amiga de infância. É um homem que
aproveita os benefícios oferecidos pela posição de poder e pela fortuna, mas
que não tem nenhum propósito que vá além de viver um dia de cada vez, como bem
lhe convir.

“Dentro dele, fez-se uma pausa, uma dúvida, um
momento de desconforto. Sua mente parecia ser um livro aberto para aquela
mulher, que já havia passado pelo sumário e a introdução, indo diretamente ao
primeiro capítulo”. 

Quando Loretta Chase coloca estes dois protagonistas
juntos, e acrescenta diversos personagens secundários fantásticos (incluindo
uma menininha de seis anos capaz de derreter nossos corações), a gente não tem
saída. O que nos resta é se permitir envolver nesta linda história, que está
repleta de bom humor, sedução, tramas bem arquitetadas (algumas nem tanto), e
empoderamento. Muito empoderamento. É o tipo de livro que a gente lê de uma
vez, sem precisar de pausa para nada. O tipo de história que nos diverte e
encanta, nos faz apaixonar e torcer por todos os personagens. Eu recomendo
demais, e confesso estar ansiosa para o próximo volume da série, principalmente
depois de ter uma provinha, disponível ao final de Sedução de seda.

A edição está linda. A Editora Arqueiro mais uma vez
me surpreendeu.  A diagramação está limpa,
confortável à leitura, e a capa está ma-ra-vi-lho-sa! Muito mais bonita do que
as versões portuguesa e americana. Para quem gosta de romance de época, essa é a dica 😉

“Ela o encarava, observando aqueles perigosos olhos
verdes, e tudo o que via ali era amor. Aquela linda boca curvada em um sorriso,
capaz de aquecer com facilidade o coração de uma mulher, e mais embaixo
também”. 

Você também poderá gostar de

7 Comentários

  • Aichha Carolina Pereira

    Olá Krisna,
    Essa capa está realmente "sedutora" kkkk. Achei maravilhosa. Confesso que nunca li romances de época, mas estão saindo tantos que minha lista está GIGANTE.
    Adorei a resenha e me fez querer conhecer melhor Marcelline Noirot, principalmente por ela sair do clichê, ser a frente do seu tempo. Falou de empoderamento to dentro!
    Beijos

    8 de março de 2017 às 11:34 Responder
  • Lili Aragão

    Oi Krisna, também amo romances de época e gostei de Marcelline pelos mesmo motivos que você, ela não é uma personagem convencional é forte e chefe de família, não mede esforços pra crescer e não deixar faltar nada para os seus e trabalha e gosta de trabalhar, dá valor ao dinheiro e junto com Clevedon nos apresenta uma história muito boa e encantadora. Vale super a pena a leitura, gostei muito da resenha e sim a capa tá linda mesmo 🙂

    8 de março de 2017 às 18:32 Responder
  • Laura

    Amo romances de época. E vc soube escrever uma resenha linda e sem spoiler rsrs… Adorei!

    9 de março de 2017 às 20:19 Responder
  • Luíza Fried

    Oi Krisna, tudo bem? Nossa, a edição tá linda mesmo hein? A editora caprichou! Eu também sou uma fã de romances, como mulher apaixonada sempre gosto de suspirar lendo verdadeiros "contos de fadas". E amo quando no final dos livros tem uma amostrinha do que está por vir, é a melhor técnica pra nos fazer comprar o outro correndo, né? Hahahah.

    10 de março de 2017 às 02:52 Responder
  • Thaynara ribeiro

    Também amo livros que nos fazem suspirar e sofrer junto com o casal. Realmente a receita do bolo é quase inevitável e estou feliz em saber que a autora consegui evitá-la kkk
    Amei saber que a personagem é forte e guerreira me deixou super a fim de ler

    10 de março de 2017 às 12:52 Responder
  • Girlene Viey

    Também amo romance, acho que maioria gosta, acho alguns super inspirador. Principalmente na questão de relacionalmente que aguenta qualquer obstáculos. Romance de epoca acho puro luxo. Eu estou querendo muito ler um esse mês, porém ele ficou na minha cidade do interior quando me mudei de cidade. Mas então… Marcelline eu gostei bastante dela, porque muitas vezes romance de época coloca a mulher muito fraca, e esse não aconteceu isso. Ela mulher forte, e isso sorte ganhou ponto comigo. Eu quero muito pode suspirar ainda lendo essa historia cheias de encantos

    12 de março de 2017 às 14:04 Responder
  • Ana Luisa Ricardo

    Também sou dessas que ama romance, e me parece que romance de época tem um ar diferente, mais mágico. Mais um para a minha lista, que já é bem longa! <3 A protagonista me lembrou aquelas mulheres fortes do Machado de Assis.

    17 de março de 2017 às 13:57 Responder
  • Deixe uma resposta