Siga nossas redes:

Resenha – Outros jeitos de usar a boca

Publicado em 5 de maio de 2017
- Contos/Poesia, Planeta, Resenhas

INDICADO ESPECIALMENTE PARA quem gosta de contos, crônicas e poesias inspiradas na vida da mulher, suas dores, angústias e desenvolvimento emocional. Ideal para ler quando buscamos uma dose de inspiração e empoderamento, e para momentos em que queremos nos aproximar da poesia, mas com uma linguagem mais contemporânea e menos filosófica (aqui é tudo muito direto ao ponto) .

Olá, pessoal!

Hoje trago mais uma dica de livros de poemas. Quem nos visita aqui no blog deve ter percebido que de vez em quando trago uma dica desse estilo, isso porque sou uma apaixonada por poesia, crônicas, poemas, versos… Enfim, esse tipo de escrita, geralmente carregada de sentimento e significado. Tem gente que não gosta, talvez porque ainda hoje há uma ideia errônea de que este tipo de literatura, obrigatoriamente, deva apresentar uma escrita rebuscada, com versos misteriosos e de difícil compreensão. Bom, não é sempre assim. Outros jeitos de usar a boca é uma prova disso.

Sigo diversos perfis que compartilham versos e poesias no Instagram, e percebo que muitas vezes a pessoa pensa que não é fã de poemas, ou diz que não lê este tipo de literatura, mas curte e compartilha nas redes sociais este tipo de trabalho sem talvez se  dar conta de que está lendo e compartilhando poesia. Curioso, não? Instagram tem muito disso, Tumblr também. A gente vê aquelas imagens lindas com frases de efeito que parecem ter sido pensadas e escritas para nós e já queremos mostrar para o mundo, e acredito que esse é o grande talento da poesia de maneira geral. Tocar o peito de quem lê, fazer sentido de alguma maneira na realidade daquela pessoa. E os artistas que trabalham nas redes sociais compartilhando versos que são ao mesmo tempo simples e impactantes, no meu ponto de vista, são responsáveis por popularizar um nicho de literatura que sofre bastante preconceito. A gente tem resistência sim, mas ela vem diminuindo. Isso é lindo de ver.

como é fácil pra você ser gentil com as
pessoas
ele perguntou
leite e mel
pingaram
dos meus lábios
quando respondi
porque as pessoas não foram gentis comigo

Voltando ao trabalho da Rupi Kaur, ela começou justamente divulgando seus escritos nas redes sociais. Através de desenhos e fotos minimalistas em seus perfis, ela falou sobre tudo aquilo que inquieta a vida de alguém, mas com foco nas mulheres. Menstruação, abuso, relacionamentos complicados e talvez até abusivos, sororidade, feminilidade, feminismo… Tanta gente gostou, curtiu e compartilhou, que o trabalho dela virou livro. Não só aqui no Brasil, mas em outras partes do mundo. E ao ler Outros jeitos de usar a boca – um titulo sugestivo que a priori me fez pensar que se tratava de outro estilo literário – eu entendi o motivo de tanto sucesso.  A obra é dividida em quatro partes – a dor, o amor, a ruptura e a cura – e cada uma delas mostra, através de poesia e desenhos, sentimentos que transitam entre uma dor aguda no peito, uma necessidade monstruosa de libertação, até a ideia de que tudo bem se aceitar como se é. E tudo bem mesmo.

se você nasceu
com
a fraqueza para
cair
você nasceu com
a força para
levantar

 A gente se reconhece nos versos desta autora. Eu devorei o livro de tal maneira que a impressão que tive foi de que tudo aquilo tinha sido escrito para mim. Ok, não tudo, mas o que não era para mim era para uma amiga que passou por um término recente, ou por outra amiga que teve um relacionamento abusivo, ou aquela outra que defende a ferro e fogo os direitos das mulheres. Direitos que vão desde dizer não para uma transa até manter seus pelos no próprio corpo. Ou seja, eu me reconheci nesta leitura. Reconheci pessoas que amo, reconheci pessoas que passaram pela minha vida. E não tem sentimento melhor no mundo literário, para mim, do que ser tocada por aquilo que leio. Não existe sensação melhor para uma leitora inquieta do que finalizar um livro e descobrir que parte dele ficou marcada no peito para sempre.

toda vez que
você
diz para sua
filha
que grita com
ela
por amor
você a ensina a
confundir
raiva com
carinho
o que parece uma
boa ideia
até que ela
cresce
confiando em
homens violentos
porque eles são
tão parecidos
com você
aos pais que têm filhas

É por isso que recomendo Outros jeitos de  usar a boca. É um livro curto, é direto, é simples, mas em momento algum é vazio. Quem quiser pode acessar o perfil da autora nas redes sociais e verificar por ali mesmo se algo chama a atenção. Este livro nada mais é do que um compilado dessas publicações, então é possível ter uma provinha antes de se jogar de cabeça. Mas, de todo o coração, façam isso. Este livro deveria ser leitura obrigatória para todxs nós.

 

ele só sussurra
eu te amo
quando desliza a
mão
para abrir o
botão
da sua calça
é aí que você
tem
que entender a
diferença
entre querer e
precisar
você pode querer
esse menino
mas você com
toda certeza
não precisa dele

 


Livro: Outros jeitos de usar a boca
Autora:
Rupi Kaur
Lançamento:
2017
Editora:
Novo Planeta
Páginas:
208
Sinopse:
‘outros jeitos de usar a boca’ é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, aperda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada umadelas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Você também poderá gostar de

11 Comentários

  • Lili Aragão

    Oi Krisna, achei bem verdadeira a afirmação do segundo parágrafo, muita gente diz que não gosta de poesia, mas ama compartilhar frases, colocar poemas nas legendas de fotos… Achei o titulo do livro chamativo e se fosse só por ele não iria nem ligar o livro a poesia e achei muito interessante isso e o fato de que o leitor se reconhece nos poemas (os que estão no post são prova disso), já anotei a dica e vou procurar a autora pra segui-la nas redes sociais 😀

    5 de maio de 2017 às 17:53 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna,
    Eu adoro poemas e poesias. Achei super bacana este livro ser voltado e abordar temas referentes a vida das mulheres. Com certeza deve rolar muita identificação (como aconteceu com você <3), pois muitas situações nós não vivenciamos mas com toda certeza conhecemos o utem alguém próximo da gente que passou não é mesmo!?
    Beijos

    5 de maio de 2017 às 18:21 Responder
  • Caroline Garcia

    Confesso que não sou muito chegada a poemas, mas quando vejo um que é bem a minha cara, trato logo de escrever ou guardar em lugarzinho especial rs <3
    Esse livro parece ser bem gostosinho de ler. Pelos pedacinhos que você colocou, sinto que vou curtir também a leitura.
    Vou anotar na minha listinha e espero conferir essa obra em breve. Adorei a dica 🙂
    Beijos,
    Caroline Garcia

    5 de maio de 2017 às 20:14 Responder
  • Cristiane Dornelas

    Tinha visto uma resenha dele e adorei a dica. Gostei que mostrou aqui mais alguns exemplos do que tem no livro. Os poemas são bem legais, fazem pensar…
    Acho que adoraria ler. Faz tanto tempo que não pego nada assim como leitura! Acabo vendo mais na internet mesmo, alguma coisa em livros ou algo assim, mas ler faz tempos que não leio nenhum livro. Esse me deixou curiosa ^^

    5 de maio de 2017 às 21:46 Responder
  • Lana Silva

    Tenho uma queda enorme por livros de poema, principalmente quando tem a facilidade de apresentar através de poucas palavras milhões de sentimento. Pelos poemas citados acima da para notar que da para compreender o que a autora quer transmitir, nos envolvendo a leitura, e inclusive alguns conseguir me identificar e refletir de diversas maneiras. Amei, e já quero adquirir para começar a leitura.

    6 de maio de 2017 às 11:03 Responder
  • Herica Lima

    Eu gosto muito de ler poemas.
    Amo compartilhar frases bonitas e profundas.
    Achei a capa linda e o título é bem legal. Nunca pensaria que esse livro é de poesias.
    Uma ótima dica!
    Beijoss

    7 de maio de 2017 às 00:53 Responder
  • Isabela Carvalho

    Não sou fã de livros de poemas, mas essas ilustrações parecem ser muito lindas *-*
    Acho que tenho que dar uma nova chance a esse gênero de livros!
    E ficaram lindas as fotos, adorei!

    7 de maio de 2017 às 23:28 Responder
  • Priscila Tavares

    Oi Krisna!
    É bem contraditório mesmo as pessoas dizerem que não gostam, mas a cada click compartilharem um verso. Eu mesma tenho dificuldades para ler crônicas, contos e poesia. Mas estou fazendo minha parte e estou lendo, mesmo que não goste, alguns poemas. Quem sabe acabo desenvolvendo o gosto por esse estilo literário né.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    14 de maio de 2017 às 03:04 Responder
  • Leituras da Ketellyn

    Oi, infelizmente o livro não chamou a minha atenção, e não gosto muito de versos, adorei a resenha, mas é uma pena que o livro não chamou a minha atenção.

    20 de maio de 2017 às 02:08 Responder
  • suzana cariri

    Oi!
    Esse é um livro que me deixou curiosa para poder ler, gosto muito de poemas, mas é raro pegar um livro desse assunto para ler, pelos poemas que vi esse livro logo me chamou atenção e fiquei curiosa para poder conhecer todos os poemas do autor !!

    28 de maio de 2017 às 17:11 Responder
  • Mariana Paiva

    Não costumo ler poemas, não tenho o hábito. Mas não que isso não possa mudar. Afinal, como você mesma disse no Instagram nós estamos sempre vendo, achando lindo, compartilhando. Mas na hora de pegar o livro em si existe esse preconceito. Eu adorei a resenha e os trechos que você colocou, assim como as fotos. Vou deixar anotadinho aqui, fiquei interessada.

    1 de junho de 2017 às 01:41 Responder
  • Deixe uma resposta