Siga nossas redes:

Resenha – O Sol também é uma estrela

Publicado em 13 de março de 2017
- Sem classificação

Livro: O sol também é uma estrela
| Autora: Nicola Yoon | Lançamento: 2017 | Editora: Arqueiro | Páginas: 288
| Classificação do Skoob: 4,6 |
Onde comprar: Amazon |
Submarino
*Livro do acervo pessoal
Antes
de começar a resenha de hoje, quero perguntar o seguinte: Vocês acreditam em
destino? Vocês acreditam que pequenas coincidências acontecem exatamente quando
precisam acontecer, e que isso mantém nossa jornada no exato caminho em que ela
precisa estar? Por conta da sincronicidade do universo, por conta da vontade de
Deus, simplesmente porque sim, não importa o motivo. A questão é, você acredita
em destino? Penso que O sol também é uma
estrela
é o tipo de obra que pergunta e que também responde essa questão.

Aqui
Nicola Yoon conta a história de dois jovens que são o oposto um do outro. Em
uma ponta temos Natasha, uma garota Jamaicana, com interesse pelo que é
cientificamente validado, apegada à resultados comprovados de maneira
empírica e com sua deportação marcada para às 22h daquele dia. Ela é cética,
ela é pragmática, ela já aceitou aquele destino. Mas, mesmo assim, ainda mantém
um fio de esperança de que aquele dia, aquele fatídico dia, tome um rumo
diferente daquele que já foi estabelecido. No fim das contas, ela quer
acreditar em milagres.

Do
outro lado temos Daniel. Um jovem poeta de 17 anos, americano, mas membro de
uma família coreana tradicional. Uma família daquele tipo que se considera
detentora do poder de decisão sobre a vida dos filhos. Uma família daquele tipo
que, a princípio, acredita que pode fazer de tudo para que seus filhos não
repitam os mesmos erros e passem pelas mesmas dificuldades.  Por conta disso, Daniel se vê obrigado a
percorrer um caminho que não escolheu, por motivos que não são dele, mas dos
pais. Mas Daniel é um poeta, um romântico inveterado, um ser humano que
acredita que tudo acontece por um motivo. E essa fé no inexplicável é tão
grande, que ele sente que aquele dia, aquele fatídico dia, é na verdade um dia
especial. Ele sabe que algo de importante vai acontecer. Ele acredita em
milagres.

“Você provavelmente odeia poesia, mas é difícil
questionar ‘Devo comparar-te a um dia de verão? És por certo mais linda e mais
amena’ em termos de pura beleza. Somos capazes de grandes vidas. De uma grande
história. Por que aceitar menos? Por que escolher a coisa prática, a coisa
corriqueira? Nós nascemos para sonhar e fazer as coisas com as quais sonhamos”.

Natasha
e Daniel se conhecem de maneira inusitada. De maneira mais inusitada ainda
passam o dia juntos, conversando sobre amor, Deus, destino, universo, estrelas,
matéria escura. Eles passam o dia juntos debatendo sobre a possibilidade de
amor à primeira vista, mas também aproveitam aquele momento para transformar em
real algo que está apenas no campo das suposições. Eles vivem uma vida em um
dia, a princípio sem saber a direção que tudo aquilo vai tomar. Em seguida,
imaginando um caminho alternativo em que os dois possam caminhar juntos. Isso
tudo para depois terem uma tomada de consciência de que o inexplicável pode sim
acontecer, mas que nem sempre é capaz de mudar algo que já havia sido decidido.
 O destino pode acontecer, no fim das
contas. Mas isso não significa que ele aconteça do jeito que a gente quer, nem
no tempo que a gente acha ser o correto.

Alternando
a narrativa entre primeira e terceira pessoa, a autora mostra não somente o
ponto de vista dos dois protagonistas, mas também acontecimentos relacionados a
todos os personagens secundários. Explica o que o jovem casal debate, esclarecendo
ao leitor tudo sobre os desdobramentos de cada ação, seja esse acontecimento no
passado, presente, ou futuro. Nicola Yoon enlaça o leitor por todos os lados,
até o momento em que os questionamentos do livro passam a ser os nossos
próprios questionamentos. Até o momento em que a gente se pega refletindo sobre
o curso da própria vida. Sobre o poder do amor, da esperança, dos sonhos.  Sobre a necessidade dos desencontros, assim
como sobre a importância das pequenas coincidências.
O
Sol também é uma estrela é um livro que fala sobre o amor, seja ele aquele tipo
de amor idealizado dos primeiros amantes, ou o tipo de amor travestido de
imposição; que surge da tristeza e se fortalece na esperança por dias melhores.
É um livro que fala sobre escolhas, arrependimentos e novas oportunidades. É um
livro que fala, de maneira cientificamente poética, que a vida é aquilo que
nasce das pequenas coisas. E que toma a proporção que a gente permite.
“Mesmo odiando poesia, um poema que li na aula de
inglês surge na minha cabeça. ‘Esperança
é a coisa que tem penas’.
Agora entendo concretamente o que isso significa.
Alguma coisa dentro do meu peito quer sair voando, que cantar, rir, e dançar
aliviada”.
É
claro, nem tudo o que acontece nesse romance é factível. Quem é por demais
cético talvez vá criticar a aproximação tão irresponsável entre dois estranhos.
Talvez reclame da má vontade de um pai sonhador, ou vanglorie um pai que, por
já ter sofrido demais, se impõe de maneira autoritária aos filhos.  Quem é muito pragmático não vai ser empático
com uma segurança que não vê sentido na vida, ou num advogado que deixa de
fazer algo importante para seguir seu coração.  Ou, talvez, eu esteja errada. E vai ler esse
livro exatamente quem precisa ler. E vai absorver dele aquilo importante no
momento: um passa tempo. Uma dose de consolo. Uma dose de esperança.  

Tenho
em mim um pouco de Natasha, acredito que nossas ações têm mais poder de
determinar nosso futuro do que qualquer coincidência programada pelo universo.
Sei que as coisas nem sempre acontecem como queremos, e que nesse momento nossa
iniciativa pode ser determinante na direção da nossa jornada. Mas, bem lá no
fundo do coração, a ideia de causalidade mecânica não passa desapercebida para
mim. E o fato de ter gostado tanto desse livro pode ser explicado quando penso
que talvez eu acredite em destino. Ou, talvez, eu queira muito acreditar. 
“Não
pode existir apenas este dia – diz Daniel uma vez, e depois mais duas. Natasha
não conta qual a sua suspeita. Que destinados
um ao outro
não precisa ser para
sempre.
Eles
se beijam, e se beijam de novo. Quando finalmente se separam é com um novo
conhecimento. Têm a sensação de que a duração de um dia é mutável, e que do
início jamais dá pra ver o final. Têm a sensação de que o amor muda todas as
coisas o tempo todo”.

Indico
O sol também é uma estrela para leitores que gostam de histórias humanas, do
tipo que pode ou não ter um final feliz. Indico para quem gosta de narrativas
que não são tão diretivas, mas que exploram o poder da explicação sobre fatos e
sentimentos. Indico para quem gosta da escrita da autora, e também para quem
quer fugir de histórias estereotipadas com aquele casal estilo família Doriana.
Na verdade indico esse livro para todo mundo, leiam aí e comentem se a história
foi capaz de tocar vocês ou se foi apenas mais um livro na lista dos ‘lidos’
em 2017. Eu torço para que ele seja algo além disso.

 

Você também poderá gostar de

20 Comentários

  • Aichha Carolina Pereira

    Sim eu acredito no destino, na verdade eu diria Planos de Deus. Nós temos livre arbítrio mas com certeza Ele tem um plano para nós. Seria a dosagem entre o que queremos e o que acontece e está fora de nosso controle 😉
    Adoro quando os livros trazem questionamentos que passam a serem os nossos próprios questionamentos.
    Adorei a resenha e estou muito curiosa para ler.
    ps: que vasinho mais amorzinho!! <3

    13 de março de 2017 às 11:25 Responder
    • Krisna Carvalho

      Aichha, tudo bem? Muito obrigada pela sua visita!

      Gosto de pensar de maneira semelhante ao que você falou, isso em deixa mais esperançosa com a vida. Também adoro quando os livros nos fazem refletir, e acredito muito que às vezes a gente encontra nas páginas exatamente aquilo que precisa no momento. Acho que esse foi o caso comigo e o sol também é uma estrela.

      O vasinho fofo eu comprei na Daiso, conhece? Tem cada um mais lindo que o outro!

      Beijo

      13 de março de 2017 às 18:56 Responder
  • Luíza Fried

    Vi a capa desse livro na Livraria Cultura e fiquei apaixonada, até passei a mão porque achei que eram vários fios mesmo, adorei mas estava com pressa, não peguei pra ler a sinopse. Gostei do livro se tratar sobre destino e de como ele pode agir nas nossas vidas mas não me interessei muito a ponto de querer le-lo. 🙁

    13 de março de 2017 às 18:50 Responder
    • Krisna Carvalho

      Luíza, tudo bem? Obrigada pelo comentário 😚

      Às vezes a história não nos chama a atenção mesmo. Ou por não ser nosso estilo, ou porque não estamos na vive, ou porque não é o momento de se envolver com aquela narrativa. Quem sabe um dia, né?

      Você gosta de ler que tipo de livros? Eu percebi que estou lendo e resenha do muitos romances. Tem alguma dica pra me dar, uma história com uma pegada diferente?

      Beijo

      13 de março de 2017 às 18:58 Responder
  • Blog Desencaixados

    Olá,

    Eu estou louco por esse livro desde quando vi a capa e li a sinopse, parece ser um livro arrebatador e apaixonante. Sua resenha colaborou com a minha vontade e a forma que você apresentou a trama é sofisticou isso, o livro já está na minha lista de desejados e vou fazer a leitura assim que surgir uma oportunidade. Adorei suas fotos e sua resenha! ♥

    → desencaixados.com

    17 de março de 2017 às 00:02 Responder
  • Ana Luisa Ricardo

    Achei a capa linda, super colorida, do jeito que eu gosto. Acho que tenho um pouco dos dois, embora eu seja mais Daniel do que Natasha 🙂

    17 de março de 2017 às 13:53 Responder
  • Morgana Brunner

    Krisna tudo bem?
    Que coisa mais linda essa resenha menina, as suas fotos já me mostraram o quanto a obra é rica e encantadora, além do mais gostei muito da indicação e pretendo ler, o enredo é lindo!
    Beijinhos

    17 de março de 2017 às 16:06 Responder
  • Thayenne Carter

    Olá,

    Não leio tantos YAs quanto eu gostaria, mas estou bem curiosa em relação a essa história, principalmente pelo marketing pesado da editora, só que não gosto de ler livros do hype, por conta das altas expectativas que esse livros tem. Gostei da premissa desse livro, estou doida para ler algo da autora, porém não é algo que pretendo ler por agora, acho que irei ler primeiro Tudo e todas as coisas antes. Valeu pela dica e sua resenha está muito boa.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    17 de março de 2017 às 21:50 Responder
  • Camila Mondaini

    Olá tudo bem?
    Ainda não tive a oportunidade de ler os livros anteriores mas essa capa está divina. Parece ser um livro de leitura muito fluida e que nos prende até o último capítulo. Se estiver certa vou adorar realizar essa leitura mesmo não gostando muito de YAs.

    beijinhos!

    18 de março de 2017 às 00:08 Responder
  • Leticia Golz

    Oi, Krisna
    Você já iniciou a resenha me deixando mais curiosa pelo livro. Esse parece ser aquele tipo de livro que nos muda. Adoro livros assim, com histórias humanas. Claro, que já quero ler. Suas resenhas são sempre muito sensíveis, eu adoro!

    18 de março de 2017 às 13:33 Responder
  • Girlene Viey

    O sol também é uma estrela foi livro que mais me chamou atenção na lista do lançamento do editora. Adorei sabe que envolve varios personagens com nacionalidade diferentes. Achei essa mistura divina. é importante muita vezes sair do comum, para ter sempre ter aquele mesmo personagens que vivem em cidade glamorosa. Eu não sei se acredito em destino ou não, mas fatos aconteceu na minha que poderia fazer acreditar, porém ainda fico com pé atras. Espero que este livro tenha respostas sobre essas perguntas haha, estou curiosa, e esse livro já tá na lista de leitura em 2017. Beijos

    19 de março de 2017 às 13:27 Responder
  • Michele Lopez

    Olá,
    É a primeira resenha que leio sobre a obra e de cara já me deixou com muita vontade de fazer a leitura!
    A premissa é bem interessante e também levo um pouco de Natasha em mim quando ela diz que nossas atitudes são responsáveis pelo nosso futuro ao invés somente de coincidências do destino.
    Estou intrigada para ver o desenvolvimento de personagens com características e nacionalidades tão distintas em um só enredo.

    LEITURA DESCONTROLADA

    20 de março de 2017 às 18:11 Responder
  • Beta Oliveira

    Eu estou muito curiosa em relação a este livro. É a primeira resenha que vejo dele e que me ofereceu muito mais em que pensar além das informações da sinopse. E a curiosidade está levando a melhor: terei que ler! Abraços!

    20 de março de 2017 às 22:36 Responder
  • Camila

    Caramba, Krisna.
    Eu já tinha visto esse livro, mas não fazia ideia que a história era boa assim!!
    Agora me arrependi de não ter comprado quando tive a chance. Vou colocá-lo na lista de desejos!
    beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

    20 de março de 2017 às 23:14 Responder
  • carool santos.

    Olá, tudo bem? Olha confesso que ainda vejo opiniões muitos divididas sobre o livro, e ainda não me decidi se compraria ou não. De fato quem é muito cético, não irá gostar muito da leitura e que gosta de histórias mais humanas terá um toque por ele. Sua resenha me instigou a ler ele, mas ainda tenho algumas ressalvas. Darei uma pensada, mas isso não tira o mérito da sua ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    21 de março de 2017 às 00:06 Responder
  • Marijleite

    Olá, eu acabei de ler o outro livro da autora (Tudo e todas as coisas) e estava curiosíssima para ler uma resenha desse segundo livro. Depois de ler a sua ótima resenha, é uma leitura que quero muito fazer, pois sei que a autora constrói personagens fascinantes.

    21 de março de 2017 às 15:18 Responder
  • Conchego das Letras

    Oi,
    Eu quero muito esse livro, depois da sua resenha fiquei querendo ainda mais.
    Você conseguiu passar todos os sentimentos lendo esse livro, como ele te tocou e amou.
    Já quero rs
    Beijos
    Daya

    31 de março de 2017 às 14:01 Responder
  • Janiele Silva

    Ola! estou bem curiosa para ler esse livro e sua resenha me conquistou! agora preciso ler pra ontem!

    Bjs

    31 de março de 2017 às 14:59 Responder
  • Paty Souza

    Olá.
    Esse é o livro do momento, sua resenha está bem instigante, e vou guardar sua palavras.
    Mas por mais que eu encontre na resenha elogios e características que considero num enredo, como alternância de narrativa, historia que nos remete a uma reflexão e questionamentos, esse não é o meu momento para a leitura.

    Beijos.

    31 de março de 2017 às 17:41 Responder
  • Alex Costa

    terminei o primeiro livro há pouco tempo e achei incrível! AMEI a Maddy, achei a personagem super bem escrita; e, claro, como disse na minha resenha, fiquei mega envolvido!

    amei o post! abraços! <3
    Alex, do blog Um Bookaholic.
    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: instagram/twitter

    9 de abril de 2017 às 13:55 Responder
  • Deixe uma resposta