Siga nossas redes:

Resenha – O Duque e eu (Os Bridgertons 1)

Publicado em 24 de outubro de 2016
- Arqueiro, Resenhas, Romance de Época

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA quem quer embarcar em uma narrativa leve, fofa, divertida, e que ainda assim consegue trabalhar temas importantes relacionados à empoderamento. Ótima pedida para quem quer conhecer o gênero ou o trabalho da autora.

https://www.instagram.com/chaticeliteraria/

Sempre fui apaixonada por livros. Leio (quase) tudo, mas as histórias de amor, capazes de me fazer suspirar, ainda são as que costumo gostar mais. Encontrei-me suspirando ao ler os romances moderninhos Young Adult, nas distopias, nos chick-lits, nos livros hots, e no contato com tantos outros gêneros que me permitia ler.

Acostumei-me a ver a mulher moderna sendo  retratada de diferentes maneiras, mas confesso que em poucos livros fui capaz de enxergar a força e a sagacidade que sempre busquei nas protagonistas. A verdade é que passei a perceber uma repetição das características que compunham as personagens literárias, sejam elas físicas ou de personalidade, (o rosto em formato de coração, corpo com curvas nos lugares certos, uma boca feita para o pecado, a altura perfeita para o encaixe dos corpos, uma indecisão desmedida, um trauma antigo que mudou a forma de ver o mundo (e os homens), etc).

O provável desgaste na criatividade de alguns autores, que passaram a usar
receitinha de bolo na hora de escrever os romances, me motivou a buscar um gênero que ainda não conhecia tão bem: Romance de época. Então, saí em busca de uma história capaz de me fazer suspirar e acreditar naquele tipo de amor puro, lindo, utópico. Li alguns, devorei outros. Entretanto, um dos que mais me chamou a atenção, foi O Duque e eu, da escritora Julia Quinn, publicado no Brasil pela Editora Arqueiro.

https://www.instagram.com/chaticeliteraria/

Admito que considerei a história de Simon Basset e Daphne Bridgerton simplesmente encantadora. Encantou-me porque me apresentou uma protagonista com cara de real, e não mais um personagem fabricado à perfeição. Mostrou um casal que foi construindo o amor, sim, mas antes dele a relação foi ganhando forma através de uma amizade cheia de humor, de parceria.

A autora nos presenteou com uma amostra da força, da leveza, da paixão da mulher de 1800 e bolinha, que com tamanha sutileza foi capaz de deixar muitas protagonistas moderninhas no chinelo. O Duque e eu foi o primeiro livro que li de Julia Quinn, é também o primeiro livro da série Os Bridgertons, que dedica cada livro a um membro da família.  São histórias leves, divertidas, que fazem suspirar, que mostram o amor belamente e deixam um gostinho de quero mais ao final da última página.

Para quem ainda não conhece ou, para quem já leu e deseja ter o livro físico em casa, segue uma dica: Eles estão sempre em promoção. É possível encontrá-los por valores super em conta, em diversas lojas. Assim fica fácil fácil ter toda a família Bridgertom na estante, e aproveitar tudo o que aquela época tem a oferecer: beijos roubados em jardins ou varandas, diálogos travessos e irônicos, romances que acontecem entre paisagens bucólicas, o show das rendas e musselinas, o empoderamento da mulher…


Título: O Duque e eu
Autora: Julia Quinn
Lançamento: 2013
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Você também poderá gostar de

1 comentário

  • Karolyne Oliveira

    Amo essa série! Ainda preciso ler os dois últimos. Quer dizer, agora 3, com esse lançamento tão inesperado.
    São livros leves e fofos, apaixonantes e divertidos! E quentes hehe

    4 de novembro de 2016 às 12:16 Responder
  • Deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.