Siga nossas redes:

Resenha – O Coração da Fera (Um Conto de Fadas Moderno 1)

Publicado em 22 de março de 2017
- Sem classificação
Livro: O Coração da Fera | Autora: Katy Regnery
| Lançamento: 2017 | Editora: Reverie
Books | Páginas: 300 | Classificação do Skoob: 4,9 | Onde comprar: Amazon
*E-book do acervo pessoal- Disponível no Kindle Unlimited
Olá pessoal!
Tudo bem?
Hoje vou
aproveitar o clima de estreia de um dos meus romances favoritos, A Bela e a Fera, para falar sobre um
livro que tem tudo a ver com esse casal saído dos contos de fadas. O Coração da Fera foi uma indicação
feita pela autora Bia Carvalho, e achei o momento tão perfeito – porque assistiria
ao filme no dia seguinte – que o passei na frente de todas as outras leituras.
Não deu outra, me apaixonei pela obra.

O Coração da Fera conta a história de duas pessoas
que estão em um momento muito complicado de suas vidas. Savannah é uma jovem
jornalista investigativa que conseguiu sair da pequena Danvers, Virgínia, para
trabalhar em um jornal super conceituado na cidade grande. Ralou muito,
tornou-se uma excelente profissional, mas foi iludida e enganada por uma fonte
não confiável. O resultado? Perdeu o emprego e a credibilidade, e precisou
voltar para uma cidade que em nada combina com ela, sem perspectivas
profissionais e com o coração dolorido. Até o dia em que surge a oportunidade
de se reerguer, escrevendo uma matéria sobre comportamento humano para um jornal
menor, mas que está disposto a oferecer-lhe uma oportunidade. E que história
melhor sobre o tema, do que o mistério que envolve o eremita da cidade, um herói
de guerra?
Asher Lee
é um veterano da guerra do Iraque. Retornou a Denvers após sofrer um grave
acidente envolvendo o salvamento de um companheiro de batalhão e a explosão de
uma bomba. Com partes do corpo a menos, um rosto desfigurado e a alma machucada, Asher tornou-se
recluso em sua mansão, e há quase dez anos seus únicos amigos são os livros e uma
senhora idosa e muito espertinha. Asher se afastou do mundo, das pessoas,
perdeu seus sonhos e ambições; e se sente conformado em viver através dos
romances literários todas aquelas emoções inerentemente humanas: a paixão, o
amor, a emoção, a entrega. Até o dia que Savannah bate em sua porta em busca de
uma história. E ele aceita.

A matéria
para o jornal e a retomada da carreira, são os primeiros motivos que levam a
jovem à casa de Asher. Mas após perceber o quão gentil, passional,
inteligente e humano ele é, os motivos que a fazem retornar começam a se
transformar. Com ele acontece a mesma coisa. Encontrar alguém capaz de
enxergá-lo além das cicatrizes e falhas físicas, alguém que o permita mostrar o
quão humano ele realmente é, faz com que Asher perceba que o coração que ele
pensava já não bater no peito é muito mais do que um órgão aposentado. Por
causa de Savannah ele acorda para a vida, e passa a viver e pensar em
possibilidades que até então já não imaginava para si.
É lindo
ver a amizade e o romance entre eles florescer, através das leituras,
piqueniques, conversas enquanto o sol se põe. Mas claro, nem tudo são flores.
Quando tudo está caminhando perfeitamente bem, um mal entendido se transforma
em lágrimas insistentes e corações despedaçados. Os protagonistas sofrem e
levam o leitor junto. Mas no fim das contas há o amor. E o amor, ah, é capaz de
realizar até o impossível.
O coração
da fera
é um livro muito bem escrito, e meu primeiro contato com o trabalho de Katy Regnery.
Com uma linguagem muito simples, acessível, e uma narrativa em terceira pessoa,
a obra fala
sobre tudo aquilo que está dentro de nós, e que muitas vezes não permitimos que
o outro enxergue – ou deixamos nós mesmos de ver – porque tudo que está no
superficial acaba de tornando mais importante. As aparências, a opinião alheia,
a aprovação do outro, tudo isso ganha uma proporção capaz de cegar e nos
impedir de aproveitar as pequenas coisas da vida. Aquelas que fazem toda a
diferença, sabe? 
 “Ela
estendeu a mão, desabotoando a manga, sentindo o calor que emanava do
pulso dele, sentindo-se subitamente muito consciente do quão másculo ele
era. Não apenas um veterano de guerra ferido. Não apenas um soltado
desfigurado. Não apenas um homem que tinha deliberadamente optado por se
esconder do mundo. Ele era a vida, respiração, calor, e um ser humano
totalmente disponível, que estava, naquele momento, fazendo seu corpo
incendiar”.

Encontrei
uns errinhos que talvez tenham passado batido na hora da revisão, que de maneira
alguma interferem na leitura, mas confesso, tiram um pouco do brilho da obra
pra mim. De qualquer forma, essa é uma história sensível, com uma alta
carga de drama, mas que aos poucos vai se transformando em um romance tórrido e
sensual – com cenas de sexo que se tornam constantes após determinado ponto da trama. É uma história que indico de coração aberto. Não somente para os fãs
de A Bela e a Fera, como eu, mas para aqueles leitores que gostam de ver além
do que está na superfície. E para quem valoriza o amor, a amizade, e a vontade
de seguir em frente. 

Você também poderá gostar de

3 Comentários

  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna!
    Amo contos de fadas e A Bela e a Fera é meu predileto. Adorei que O Coração da Fera (Um Conto de Fadas Moderno 1) é uma releitura contemporânea. Achei bem interessante, creio que é um livro que nos faz refletir sobre quem as pessoas são realmente independente de sua aparência.
    Beijos

    22 de março de 2017 às 16:03 Responder
  • Ana Luisa Ricardo

    Oie! Ah, adoro A bela e a fera, acho que é uma das minhas histórias favoritas. Já quero ler essa, vou procurar para comprar. 🙂

    23 de março de 2017 às 15:16 Responder
  • Girlene Viey

    Queria eu conseguir ler digital como vocês, pois tenho bastante dificuldade.
    Enfim, achei o livro daqueles que no inicio as pessoas estão em fase difícil da vida e depois de encontra um ao outro, começar envolver e madurecer. Gosto bastante de historia assim, porque na vida real é assim. Enfim, amei a capa e historia é bastante envolver,e cheios de transformação dos personagens

    29 de março de 2017 às 15:36 Responder
  • Deixe uma resposta