Siga nossas redes:

Resenha – Juntando os pedaços

Publicado em 28 de novembro de 2016
- Sem classificação

Livro: Juntando
os Pedaços | Autora: Jennifer
Niven | Lançamento:
2016 | Editora: Seguinte
Páginas: 392 | Classificação do Skoob: 4,6 | Onde comprar: Amazon 
| Saraiva
*Livro do acervo pessoal
Olá
pessoal! Hoje vou falar sobre um dos lançamentos mais aguardados pelos fãs da
autora Jennifer Niven. Principalmente para aqueles que foram para a Bienal de São
Paulo e participaram da palestra com ela. No momento a autora informou o que a
motivou a escrever esse livro, que se difere de algumas formas do queridinho Por lugares incríveis, mas que não deixa
de dar o seu recado para os leitores.


Acho
que a grande diferença que eu percebi entre essas duas obras, as únicas que li
da autora, foi o tipo de sentimento que permeia a leitura: enquanto em Por lugares incríveis nos deparamos com
a depressão e todas as suas repercussões melancólicas, impulsivas e trágicas, e
nos sentimos imersos em sofrimento e tristeza ao final do livro (pelo menos eu
fiquei assim, com direito a cara inchada e tudo); em Juntando os pedaços a autora ditou o tom da narrativa
logo no começo. E não tinha muito a ver com tristeza não!

Através
de capítulos curtos e que alternam o ponto de vista, conhecemos dois
protagonistas muito singulares. Um menino que vê, mas não reconhece ninguém. Portador
de prosopagnosia, ele é incapaz de reter as informações necessárias para memorizar
rostos, por isso Jack sofre em silêncio. Não reconhece o irmão, o melhor amigo,
ele próprio. Esconde sua doença por medo de ser julgado, ridicularizado, ou de
que lhe façam mal. Em meio à confusão e incerteza, criou mecanismos para
esconder sua condição, tornando-se assim um jovem muito popular, porém
solitário.

“De repente me sinto velho e muito, muito cansado. É exaustivo ter que ficar procurando as pessoas que você ama”.


Libby vai no caminho contrário: uma garota que se tornou obesa após a morte da mãe, teve sua condição escancarada
para o mundo quando foi retirada de casa com o auxílio de um guindaste, perdeu
peso e resolveu encarar a vida de cabeça erguida. Sofre com o bullying e
preconceitos no ambiente escolar, mas não perde a chance de ser resiliente e
mostrar que tem sim seu valor. Que ela é muito mais do que a aparência. Que
todos nós o somos. Ela é forte, empoderada, daquele tipo de pessoa que olha nos
olhos sem medo porque aprendeu a se aceitar. Ela não foge da luta. 

“A
perda faz isso, nos atinge do nada. Podemos estar no carro ou na sala
ou no cinema, rindo e nos divertindo, e de repente é como se alguém
enfiasse o dedo na ferida e apertasse com toda força”.

Pelos
motivos errados os dois jovens se aproximam. Compartilham seus medos,
inseguranças, anseios, e passam a encontrar um no outro justamente aquilo que
mais precisavam. Eles se entendem, se fortalecem, se permitem ser como
realmente são, com todas as partes boas e ruins.  Juntos vão descobrindo os pedaços de cada um. Juntando
os pedaços um do outro.

“Querido amigo,

Você
não é uma aberração. Alguém gosta de você. Alguém precisa de você. Você
é único. Não tenha medo de deixar o castelo. Tem um mundo enorme e
maravilhoso lá fora.

Acredito
que esse livro tem como objetivo principal mostrar que a vida pode estar ruim,
que os obstáculos podem parecer insuperáveis, que a raiva e a tristeza e a
incompreensão podem muitas vezes atingir uma proporção desumana. Mas que, mesmo
assim, ainda é possível encontrar beleza, força, e tudo aquilo que enche nossa
vida de sentido. A autora fala das duas condições mostrando as dificuldades
enfrentadas pelos jovens, mas vai além disso. Por isso esse não é um livro que
mostra só a parte trágica de ser obeso ou de não reconhecer pessoas, é um livro
que mostra que a nossa existência pode ter um lado bom e está em nossas mãos
decidir o que fazer com tudo o que a vida impõe. Recomendo a leitura. 
 
 Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto
das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca…
mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na
memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da
pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus
amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele
encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em
casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A
garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo
nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de
seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla
improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro
como ninguém antes tinha feito.

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Camila

    Olá, Krisna.
    Já tenho o Por Lugares Incríveis aqui na estante e estou esperando o meu Juntando os Pedaços chegar. Pretendo ler os dois livros de uma vez, até mesmo para sentir a diferença entre eles como você comentou!
    Tive a oportunidade de conhecer a autora e ela é tão fofa que é impossível não querer ler o que ela escreve!! rs…
    beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

    28 de novembro de 2016 às 16:42 Responder
  • Rosana Gutierrez - Livrólogos

    Oie
    Adorei as fotos e o gatinhoooooooo 🙂
    Gostei bastante da sua resenha. Estava meio receosa para ler esse livro, achei que teria uma perspectiva mais triste, mas pelo que vc escreveu ele mostra que há beleza tb.
    Bjs

    29 de novembro de 2016 às 02:30 Responder
  • Daniele Vieira

    Olá
    Ando fugindo desses livros de bulling, é triste de mais para mim que gosta de livros com finais felizes. Mas sabe que gostei dessa premissa, em especial da moça, ela me pareceu bem forte.
    Dica anota

    29 de novembro de 2016 às 08:41 Responder
  • Aricia Aguiar

    Olá!
    Então… Bulling… eu sou do tipo que me jogo nas leituras, bulling não me assusta, já escrevi sobre um estupro coletivo e suas consequências, e fui massacrada, então eu apoio autores que escrevem sobre temas dramáticos e tiram o leitor da sua zona de conforto, portanto, o livro sobe na minha lista de desejados…
    Bjks
    Comentando para o Blog Livros& Tal

    29 de novembro de 2016 às 20:56 Responder
  • Bianca Santana

    Eu tenho "Por Lugares Incríveis" e preciro muito, muito ler. Agora mais esse. Duas histórias carregadas de sentimento e mensagens fortes. Só leio coisas boas sobre a Jennifer. Preciso tirar minhas próprias conclusões.
    Ameeei as fotos!
    Bj

    30 de novembro de 2016 às 16:27 Responder
  • Beta Oliveira

    Oi, Krisna. Eu estou correndo de temas pesados. No entanto, a sua resenha me trouxe um viés bem otimista do livro. Sinto que, em breve, estarei pronta para dar uma chance a ele. O texto ficou bem claro, as fotos estão lindas e, como a Rosana, amei o gatinho! Muito obrigada!

    1 de dezembro de 2016 às 20:26 Responder
  • Carolina Ramires

    Olá!
    Nunca tive a oportunidade de conhecer a escrita da autora, mas morro de vontade de ler Por Lugares Incríveis. Fiquei bem interessada por essa obra também, que parece ser bem pesada e ao mesmo tempo muito interessante de acompanhar.
    Beijos.

    2 de dezembro de 2016 às 12:17 Responder
  • Ana Paula Lima Miranda

    Oiii!!!

    primeiramente:: AMEI AS FOTOS!!! Ficaram lindas demais <3 Sobre o enredo, eu fiquei sabendo do livro ontem e adorei saber que a autora falou sobre um tema que é tão recorrente. Acho que é importante ter histórias nesse estilo, para que possamos refletir.
    Gostei da sua resenha!

    Beijinhos,

    4 de dezembro de 2016 às 16:28 Responder
  • Cila - Leitora Voraz

    Oi Krisna, sua linda, tudo bem?
    Como a Ani, eu tenho que comentar: suas fotos ficaram lindas!!!! Você me emocionou com a reflexão no final da resenha. Infelizmente às vezes a carga é muito pesada, mas não temos como evitá-la. Ninguém pode não sofrer, acho que o sofrimento é inevitável. Agora, nós podemos decidir o que faremos com esse sofrimento, iremos enfrentá-lo e seguir adiante mais fortes, ou poderemos permitir que ele nos destrua. Achei lindo a autora juntar os pedaços dos dois e trazer uma mensagem tão positiva. Você me conquistou com sua resenha, fiquei louca para ler o livro!!! Adorei!!!!!
    beijinhos.
    cila.

    6 de dezembro de 2016 às 08:30 Responder
  • Gabrielly Marques

    Que resenha mais linda!! Amei suas fotos. Eu quero MUITO ler esse livro! Tenho certeza que irei me identificar muito com os personagens, pelo que li aqui. Eu li o Por Lugares Incríveis e gostei muito! Parabéns pela linda resenha.

    Beijos!!!

    7 de dezembro de 2016 às 00:12 Responder
  • Deixe uma resposta