Siga nossas redes:

Resenha – Extraordinário

Publicado em 29 de maio de 2017
- Infanto Juvenil, Intrínseca

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA leitores de todas as idades. Para quem busca uma história emocionante, sensível e com protagonista criança. Para ler naqueles momentos em que buscamos algo que toque o coração, com narrativa fluida encantadora.

Terminei de ler Extraordinário e senti aquela sensação, aquele sentimento que toma conta de nós quando lemos um livro, quando gostamos da obra, mas não conseguimos expressar em palavras a impressão final. Sobre o que eu poderia escrever ao término da leitura?

Poderia falar que é um livro legal. Que talvez tenha sido escrito para crianças, para adolescentes, para jovens em idade escolar que convivem direto com o bullying, independente se essa convivência se dá porque eles são o alvo das brincadeiras de mau gosto ou quem as pratica.  Mas daí eu deixaria de dizer que o livro foi escrito para pessoas de todas as idades, pois é capaz de tocar o coração de quem lê sem levar em consideração a dureza da alma ou concepções preestabelecidas.

Poderia dizer que é um livro de fácil apreensão, porque utiliza uma linguagem muito simples, dando a impressão que os personagens estão escrevendo diretamente pra nós e sem o intermédio da autora. Escrevem como se falassem com um amigo, como se fosse aquele tipo de conversa que acontece num fim de tarde, quando nos sentamos no banco de uma praça para apreciar o pôr do sol.

Mais gentil que o necessário. Porque não basta ser gentil. Devemos ser mais gentis do que precisamos. Adoro essa frase, essa ideia, porque ela me lembra de que carregamos conosco, como seres humanos, não apenas a capacidade de ser gentil, mas a opção pela gentileza.

 

Poderia contar também que é um livro simples, sem grandes reviravoltas e com uma história comum sobre um garoto que inicia a quinta série. É praticamente como se o livro começasse juntamente com o ano letivo, e terminasse na formatura dos alunos. Mas aí eu deixaria de dizer o que é possível acontecer em quase trezentos e sessenta e cinco dias. O quanto o ser humano é capaz de amadurecer nesse período de tempo. E o quanto é possível conquistar.

Além disso, eu poderia falar que o livro alterna pontos de vista, mostrando os acontecimentos (alguns deles) sob a perspectiva do Auggie, mas também sob o olhar dos amigos, da irmã, do namorado da irmã. Poderia dizer tudo isso, que não deixa de ser verdade, mas eu não teria dito absolutamente nada sobre a essência da obra.

Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.

Extraordinário é uma espécie de cartilha sobre gentileza. É aquele tipo de livro que se propõe a falar sobre valores. O tipo de leitura capaz de fazer o leitor compreender, mas acima de tudo, sentir tudo aquilo que o livro quer passar. A gente sente o amor e a dedicação de uma família, que ergue a cabeça e enfrenta as dificuldades com maestria. A gente sente as dificuldades de um garotinho esquisito, frente à descoberta de um mundo fantástico, mas onde habitam pessoas que podem ser cruéis. A gente sente o florescer de amizades baseadas em aceitação, honra, proteção. A gente chora as lágrimas daquela criança que só quer ser como qualquer outra criança, mas que foi sorteado com uma chance entre quatro milhões, ganhou na loteria do azar e agora tem um rosto capaz de causar espanto aos desavisados.

SEUS FEITOS SÃO SEUS MONUMENTOS. Esse preceito significa que devemos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas impostam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa  aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós.

A gente sente tudo isso, a gente sente muito mais. Desafio quem ler a terminar o livro sem ter se emocionado ao menos uma vez. Sem ter sentido vontade de carregar no colo aquele garotinho tão especial e valente. Extraordinário é o tipo de livro que deveria ser indicado nas escolas, que deveria ser leitura obrigatória para todos os que apreciam a companhia dos livros. Na verdade, deveria ser indicado até para quem não gosta de ler, pois tenho certeza que esta é o tipo de história capaz de conquistar todos os corações. Conquistou o meu, sem dúvidas.

A edição está bonita, embora simples. Os capítulos são curtos, e cada parte, (são oito no total), inicia com uma citação interessante. Elas vão de Christina Aguilera a Shakespeare e são geralmente relacionadas ao assunto que vem em seguida. O livro foi lançado em 2013, e em 2015 a Editora Intrínseca nos presenteou com um complemento do livro. Ele é composto por três contos com o ponto de vista de três personagens importantes da história de Extraordinário. E agora em 2017 uma nova versão do livro foi publicada. Voltada para o publico infantil, a obra tem ilustrações belíssimas e conta de maneira resumida a história de Auggie. Em breve teremos resenha deles por aqui.

Livro: Extraordinário
Autora: R. J. Palacio
Lançamento: 2013
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Sinopse: O livro conta a história de Auggie, um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Em um manifesto em favor da gentileza, ele enfrenta uma missão nada fácil quando começa a frequentar a escola pela primeira vez: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Cristiane Dornelas

    Esse é um livro complicado de explicar mesmo. Se a gente começa é perigoso não parar mais porque tem tanta coisa legal e é tanto pra tentar expressar tudo que a gente sente ao ler! A ideia de uma cartilha da gentileza dá uma noção do que esperar. Mas é muito mais do que isso. É ver pelos olhos de uma criança uma situação que normalmente causa pena na gente, ver que aquilo pode causar repulsa em outras crianças e pessoas no geral, mas poder perceber como ele se sente e como ele vê a vida. Auggie é um personagem que dá orgulho, que a gente se conecta facilmente e tem vontade de proteger e amar ao longo da leitura. Ele ganha vida, ele se enrosca no nosso coração e é difícil não ler e se emocionar.
    Esse é um desses livros que dá vontade de recomendar pra todo mundo porque é uma leitura obrigatória. As lições que passa e o que faz a gente sentir…ah, só lendo para compreender.

    29 de maio de 2017 às 17:00 Responder
  • Herica Lima

    Eu amo tanto esse livro. Umas das minhas melhores leituras do ano passado! Chorei e me encanei com esse livro. Estou super doida para ver o filme! Tomara que seja uma boa adaptação, pq o livro é íncrivel!

    29 de maio de 2017 às 18:13 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna
    Este foi um livro que me surpreendeu muito. Li a um bom tempo e estava totalmente sem expectativas, achei que seria infantil e até mesmo bobinho. Ledo engano, achei super tocante e lindo. A forma como Auggie leva a vida mesmo sofrendo o bullying diariamente é inspirador!
    Beijos

    29 de maio de 2017 às 18:55 Responder
  • Isabela Carvalho

    Oi Krisna 😉
    Sempre quis ler o livro, e agora que vai sair a adaptação vou correr pra ler!
    Eu sei como é quando a gente ama demais um livro, que nem conseguimos expressar o quão maravilhosa a leitura é *-*
    Agora quero ainda mais ler S2
    Bjos

    30 de maio de 2017 às 03:09 Responder
  • Lana Silva

    Tenho esse livro já faz algum tempo, porém por se tratar de uma estória com um personagem infanto juvenil, sempre acabo deixando de lado, porém após ler sua resenha, e assistir ao trailer da adaptação do filme nas redes sociais, tenho sentido muita vontade de embarca nessa leitura, que aborda temas que devem ser discutidos, que e a forma como a sociedade lida com o diferente. A forma como nos relacionamos, ou vemos o outro, e os enxergamos apenas por uma casca, sem respeito algum, e ainda com muito preconceito, Imagino que esse garotinho vai enfrentar muitas situações na escola, mas ainda bem que vai ter pessoas que lhe vão apoiar e nunca abandona-lo.

    30 de maio de 2017 às 11:06 Responder
  • Lili Aragão

    Oi Krisna, se você terminou a leitura sem saber como colocar em palavras o que ela representou pra você posso dizer com certeza que você conseguiu expressar bem e contagiar com a maravilha que deve ter sido essa leitura. Tenho ouvido falar mais desse livro desde que ele ganhou uma adaptação, que tá com um trailer emocionante, e apesar de ainda não ter lido concordo contigo que essa história deve ser divulgada e indicada nas escolas. Lendo a resenha consegui criar empatia e ternura por Auggie e espero ter a oportunidade de ler o livro antes de ver o filme e tenho certeza que vou me emocionar com ambos 😉

    30 de maio de 2017 às 12:34 Responder
  • Caroline Garcia

    Esse livro… nem li ainda e já considero MUITO!
    Parece ser uma história emocionante e apaixonante DEMAIS da conta.
    Quero muito ler ele antes de assistir a adaptação.
    Tenho ouvido muitos comentários positivos, como sua resenha, e isso vem me deixando cada vez mais interessada.
    Parece ser daquelas leituras que você leva pra sempre no coração né?
    Espero conferir em breve!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    31 de maio de 2017 às 01:45 Responder
  • suzana cariri

    Oi!
    Passei um bom tempo vendo esse livro e diante dos muitos comentários positivos ficado bem curiosa para poder ler, mas acabou que nunca lia, mas assistir ao trailer do filme de Extraordinário e ele me conquistou de tal maneiro que preciso ler o livro, essa historia parece ser incrível, emocionante e linda, com certeza é um livro para todas as idades e ele parece passar uma mensagem linda para os leitores !!

    31 de maio de 2017 às 13:56 Responder
  • Mariana Paiva

    O que dizer desse livro? Tenho um carinho enorme por ele. É um livro tão emocionante, tão verdadeiro. Espero que ainda alcance muitas pessoas. As pessoas simplesmente precisam conhecer esse livro, precisam conhecer o Auggie. Tem uma cena lá pro finalzinho que eu chorei, eu sorri, mexeu muito comigo. E o melhor? Amei o trailer do filme. Tenho certeza que vai ser incrível. Chega logo, novembro!!

    31 de maio de 2017 às 15:35 Responder
  • Leituras da Ketellyn

    Sempre vejo falar muito bem sobre esse livro, mas ele nunca chamou a minha atenção, acho que por não ter grandes reviravoltas que é o que eu mais gosto quando eu leio.

    31 de maio de 2017 às 19:17 Responder
  • Deixe uma resposta