Siga nossas redes:

Resenha – Eu te darei o sol

Publicado em 8 de fevereiro de 2017
- Sem classificação
Livro: Eu te darei o sol |  Autor: Jandy
Nelson | Lançamento: 2014 |Editora: Novo Conceito  Páginas: 384
Classificação do
Skoob:
 4,5 |Onde
comprar:
 Amazon
| Walmart
*Livro
do acervo pessoal
A
Jandy Nelson escreveu aquele tipo de
livro que te deixa tonta sem saber o que sentir, um mix de sentimentos que me
tornou uma confusão. Para mim, isso tudo teve dois lados, o bom e o ruim.

Vinha
acompanhando a repercussão de Eu te darei
um sol
desde 2014, nos vlogs americanos, e sem exceção todas as minhas vlogueiras
favoritas estavam fazendo reviews positivas dele. Comecei a me animar pra ler, passei então a pensar na possibilidade em ler em inglês, apesar do ritmo mais
lento da leitura, mas acabou que foi ficando pra depois. No final de 2014,
começaram a sair a lista dos melhores do ano, e quem estava no meio? Eu te darei o sol. Pouco tempo depois vi
a notícia que o livro seria publicado por aqui, o que me encheu de alegria, só
precisava ter paciência.
Como
vocês perceberam, minha expectativa com o livro estava nas alturas, e eu também
queria que ele fosse um dos melhores livros que li. Não foi, infelizmente.Mas
por favor não levem isso como um desencorajamento, é uma ótima leitura, só não
foi uma das melhores desse ano até agora, e por eu estar tão ansiosa, esperava
mais.

“O céu está sempre despencando. Sempre. Você vai ver. As pessoas não têm
ideia”.

Eu te darei o sol,
não é um Young adult doce como vemos por aí, a história foca no relacionamento dos
irmãos gêmeos Noah e Jude, e como as coisas entre eles vão mudando quando
chegam na adolescência.
Aos
13 anos Noah sempre se sentiu uma bolha, como era chamado nas redondezas, um
garoto com alma de artista e talento de Picasso, além de estar descobrindo sua
própria sexualidade, o que torna tudo ainda mais confuso em meio a tantas
mudanças.
Enquanto
isso, Jude é a estrela mais brilhante do pedaço, uma menina linda, cheia de cor
e vida, amiga de todos e sem medo de se arriscar, enquanto Noah tem o talento
de Picasso, Jude tem o talento de Michelangelo; uma alma de escultora, mas nunca foi
tão intensa quanto seu irmão.
A
mãe dos gêmeos, Dianna, é como um ser místico para eles, alguém a ser
admirado não apenas como uma mãe normal, mas A mãe, a mãe com alma de artista e de espírito
livre. Alguém que Noah e Jude fazem de tudo para conquistar atenção.
Dianna
decide criar uma competição saudável entre os meninos para a inscrição na escola
de artes, CSA. Que é o sonho de consumo de Noah, uma escola cheia de revolucionários
com sangue de artistas correndo nas veias, tudo o que ele mais almeja.A
partir de então tudo começa a mudar. Apesar de se amarem, é incrível como Noah
e Jude sabotam um ao outro, como eles se tornam egoístas e deixam as coisas
importantes de lado.
Até
que ao fazerem 14 anos, mais uma vez, as coisas tomam um rumo diferente Dois
anos se passam e vemos as mudanças drásticas em Noah e Jude, tanto em seu relacionamento
como em cada um individualmente.Sou
filha única, então para mim foi difícil entender como eles podiam ser tão cruéis
ou pensarem tão pouco um do outro. Sem dúvida foi o que menos gostei no livro e
o que mais me afetou na leitura.
Quando
as coisas começam a melhorar, e começo a entender melhor cada um, o livro vai
chegando ao fim. Os personagens conseguem ter seu desenvolvimento, mas quando
isso finalmente acontece, the end.
Talvez
essa seja a ideia do livro mesmo, mostrar que eles tiveram que passar por tudo
que passaram e fazer o que fizeram, para no final se redimirem um com o outro, poderem
enfim crescer e seguir em frente. Sem
dúvidas o que mais amei no livro foi o final, perfeito e os pov’s do Noah, foi incrível
ler na perspectiva dele.  Por esses dois
motivos o livro vale muito a pena ser lido, e sem dúvidas se tornará o favorito
de muita gente.

 “Arrisque-se (uma,duas,três, quatro vezes). Reconstrua o mundo”.

Você também poderá gostar de

13 Comentários

  • Cristiane Dornelas

    Gostei muito de um que li dela e achei bem legal ter mais uma história para conferir. Só espero não acabar desanimada, porque de expectativa estou lá encima com esse livro.
    Achei a trama bem interessante, bonita, parece que os personagens vão crescendo e deve ser bem envolvente de conhecê-los. Só que tá com cara de que acaba cedo demais! Não sei, me passou essa impressão. Talvez porque quando fica bem interessante é que a história termina. Mas agora só lendo pra entender isso. Acho que vou gostar do livro sim =)

    8 de fevereiro de 2017 às 18:56 Responder
  • Maria Fernanda Pinheiro

    Temos várias leituras assim: foram livros ótimos, mas não supriram minhas expectativas altas. Nós, que acompanhamos blogueiras, sofremos ainda mais com isso, é só ver alguém falando bem do livro que já quero para ontem.
    Gostei do enredo mostrar o relacionamento de dois gêmeos, é um assunto delicado, e que parece ter sido trabalhado da maneira correta.
    Mesmo tendo te decepcionado, eu acho que vale a pena a leitura.

    9 de fevereiro de 2017 às 00:00 Responder
  • Lara Caroline

    Oi Gabi, tudo bem?
    Também sou filha única, mas tenho dois primos e posso te garantir que a competição entre irmãos existe sim, e as vezes pode ser até ao extremo. Já vi muitas críticas positivas a respeito deste livro, e continuo tendo muita vontade de lê-lo.
    Beijos

    9 de fevereiro de 2017 às 01:33 Responder
  • Adriana Holanda Tavares

    Gostei demais da capa desse livro, ela é vibrante, forte e marcante, como parece ser a leitura! A complexidade da história e do enredo, bem como a construção dos personagens e todos os temas importantes e extremamente indispensáveis atualmente que a autora mobilizar, junto à escrita poética, tornam a leitura intensa, como tu mesma deixou claro.

    9 de fevereiro de 2017 às 10:43 Responder
  • Naime Martins

    Já vi muitos blogs e igs literários comentando desse livro, muitas críticas positivas, outras negativas, mas tenho vontade de ler ele para tirar minha conclusão. Gostei do tema, parece ser bastante interessante, ainda mais em saber que existe sim disputa entre irmão, comigo não acontece, mas já vi algumas amigas serem assim.
    Beijos.

    9 de fevereiro de 2017 às 11:42 Responder
  • Lili Aragão

    Oi Gabi, apesar de já ter visto a capa do livro em alguns sites, ainda não tinha lido nada sobre seu conteúdo e acho que as coisas que te incomodaram seriam as mesmas que me fariam criar barreiras com essa história, não sou filha única, mas não houve um momento na vida que me fizesse pensar pouco de minhas irmãs, claro que todo relacionamento tem diversas fases e nem todas são felizes, mas nenhuma delas foi considerada cruel. Talvez a competição saudável que a mãe criou não tenha sido tão saudável, mas o bom é que o final parece ser inspirador já que a mensagem é a de que é possível, se redimir, crescer e seguir em frente. Gostei muito da resenha 😉

    9 de fevereiro de 2017 às 11:42 Responder
  • Thaynara ribeiro

    Ter irmãos é difícil… fiquei intrigada com o livro
    Não conhecia e até que gostei… pelo título imaginei um romance, mas ver a relação entre os irmãos parece causar grandes emoções

    11 de fevereiro de 2017 às 02:01 Responder
  • Maria Clara

    É mesmo bem interessante esse livro..União entre irmãos, melhor coisa

    13 de fevereiro de 2017 às 14:52 Responder
  • Luíza Fried

    Gostei da história desse livro, achei um pouco diferente do que eu estou acostumada a ler mas sem fugir muito. As relações com os irmãos podem ser muito diferentes de família para família, eu só penso em proteger o meu mais novo, espero que ler esse livro não me traga ideias do mal ahahah brincadeira. Nome anotado!

    14 de fevereiro de 2017 às 03:55 Responder
  • Girlene Viey

    O nome do livro me lembrou a musica "Eu te darei o céu meu bem, e o meu amor também"
    Então sobre a resenhas, acho que você criou expectativas demais sobre o livro, por isso a decepção aumenta ainda mais. Isso acontece comigo sempre, por isso tento ao máximo não fica criando alguma coisa, e penso "é só mais leitura" hahaha. As vezes funciona, outras não. Enfim, essa obra me chamou atenção pela alma de artista dos personagens, meu deixou curiosa aonde isso poderá dar. Michelangelo e Picasso, ficando juntos? haha. Adorei a resenha, otima indicação, embora não chegou na sua expectativas

    17 de fevereiro de 2017 às 11:24 Responder
  • Kris Soares

    Tenho dois irmãos, temos idades muito próximas e não poderíamos ser mais diferentes, mesmo assim somos muito Unidos. Acho que todo essa rixa entre eles ia me incomodar muito, mas entendo ser necessário para a mensagem final que o livro quer passar.

    19 de fevereiro de 2017 às 01:49 Responder
  • Marta Izabel

    Oi, Gabi!!
    Já tinha visto esse livro mas nunca parei para ler a sinopse dele, nunca imaginei que se tratava de um livro onde os irmão fazem mal um para o outro. E que mãe e essa que incentiva tudo isso?!!
    Beijoss

    26 de fevereiro de 2017 às 01:22 Responder
  • suzana cariri

    Oi!
    Também vi muitos comentários positivos sobre essa historia e as expectativas acabam ficando grandes, mas geralmente quando vou com muita expectativa para uma historia acabo me decepcionando, mas quero ler essa historia, achei interessante temos um livro que fala sobre a relação de irmãos e fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu com eles e curiosa para poer conhecer cada um !!

    1 de março de 2017 às 17:15 Responder
  • Deixe uma resposta