Siga nossas redes:

Resenha – Essa luz tão brilhante

Publicado em 5 de julho de 2017
- Arqueiro, Resenhas, Young Adult

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA: pessoas interessadas por literatura jovem, para quem gosta de narrativas dramáticas e para quem curte histórias com personagens jovens, fortes e confusos. A leitura pode ser melancólica e triste.

 

 

Olá, pessoal! Vamos para mais uma resenha? Hoje escolhi falar sobre esse livro bem bacaninha, daquele tipo que desperta em nós sentimentos mistos, mas que vale a pena a leitura.

A autora Estelle Laure estreou no universo literário nos presenteando com a história de Lucille, uma jovem de 17 anos que vê sua vida tomar rumos inesperados. O pai, surtado, está internado em um lugar que ninguém sabe onde fica. A mãe, incapaz de lidar com a ausência do marido e talvez com outras questões relacionadas à maternidade (não ficou claro no livro), decide simplesmente desaparecer. Com alguns dólares, uma casa caindo aos pedaços, um amor platônico, uma irmã de 9 anos e uma amiga inseparável, a protagonista se vê diante de situações difíceis, bizarras, imprevisíveis.

As contas se acumulam, a comida chega ao fim, a esperança está por um fio. Mas Lucille é uma protagonista que não se rende fácil, pelo contrário. Ela decide lidar com tudo da maneira mais adulta e corajosa que encontra: arruma um emprego, pede ajuda à melhor amiga, finge que a mãe está de férias, ou trabalhando como enfermeira, ou seja, omite para todos que ela e a irmã foram abandonadas. Ela transita entre os papéis de irmã, amiga, amante, mãe, dona de casa, estudante, adolescente. Ela é irônica, amável, forte, humilde e decidida. Lucille tem grandes características em uma protagonista, e o melhor, ela não está sozinha.

 

 

Por favor, estou berrando com tudo que tenho no rosto cor-de-rosa dela e no ombro do roupão cor-de-rosa dela, para que ela me escute, para que alguém finalmente me escute.

Eden, a melhor amiga, é o tipo de personagem que mostra a que veio. Cheia de força e ternura, é o ombro amigo da protagonista. Uma bailarina que é capaz de oferecer conforto, que está sempre munida de frases de efeito, e que faz o possível (e o impossível também), para acolher Lucille e toda a sua bagagem.

Digby, irmão gêmeo de Eden, é um caso de puro amor. Aquele tipo de personagem com uma aura tão brilhante, que a gente se sente confortada e aquecida, mesmo estando do outro lado das páginas. Ele é a paixão platônica de Lucille e, embora esteja em um relacionamento sério com outra menina, se permite aproximar da protagonista. Ele se torna babá, amigo, confidente. Ele se torna tudo aquilo que ela precisa.

A mamãe que eu conhecia já tinha ido embora, e havia bastante tempo. Então esse adeus não foi tanto uma despedida, mas sim o ato de deixar partir o finzinho daquela coisa que já estava se apagando da memória.

 

 

Essa luz tão brilhante, embora seja um drama, é um livro que faz rir mais que chorar. Fala de maneira leve sobre as desventuras. Trava uma luta entre o bom e o ruim, mostrando que o belo sempre tem um valor maior. E embora seja um livro de leitura fácil, capaz de emocionar e entreter, eu esperava mais do final. Eu esperava que diversas lacunas fossem preenchidas, eu necessitava de respostas que não foram dadas, pelo contrário. E isso me chateou demais.

Não existe forma de se recuperar disso, não é? Algumas coisas não podem ser desditas, desfeitas.

Esse sentimento de chateação e de ‘não acredito que é só isso’, durou até eu começar a ler os agradecimentos. Isso porque descobri que esta não é uma obra única, haverá um segundo livro. A sequência, ainda sem data para lançamento, se chamará But Then I Came Back, e contará a história de Eden, a melhor amiga de Lucille. E, espero com todo o meu coração, que a sequencia seja capaz de amarrar algumas pontas que ficaram soltas em Essa luz tão brilhante. Pois é uma história que merece ser fechada com chave de ouro.


Livro: Essa luz tão brilhante

Autora: Estelle Laure

Editora: Arqueiro

Páginas: 208

Ano: 2016

Sinopse: O pai dela surtou e foi internado. A mãe disse que ia viajar por uns dias e nunca mais voltou. Wren, sua irmãzinha, parece bem, mas já está tendo problemas na escola. Lucille tem só 17 anos, e todos os problemas do mundo. Se não conseguir arrumar um emprego para pagar as contas e fingir para os vizinhos que está tudo em ordem, pode perder a guarda da irmã. Sorte a dela ter Eden, uma amiga tão incrível que se dispõe a matar aulas para ajudá-la. Azar o dela se apaixonar perdidamente justo agora, e justo por Digby, o irmão gêmeo de Eden, que é lindo, ruivo… mas comprometido.Essa luz tão brilhante é a história de uma garota que descobre uma grande força dentro de si enquanto aprende que a vida e o amor podem ser imprevisíveis, assustadores e maravilhosos – tudo junto e misturado.

Você também poderá gostar de

16 Comentários

  • Ludyanne Carvalho

    Essa capa é muito linda.
    Amei a resenha, amei saber mais sobre esse livro. Já pensei em acrescentar a minha lista, mas só pela sinopse eu acabava desistindo.
    Agora, lendo essa resenha e sabendo que terá continuação, sinto uma vontade maior de ler.
    Lucille me lembrou muito a Amber (Quase uma rockstar). E me parece que é um livro sobre o amor, mas sobre o amor entre amigos. De estar presente quando mais precisa, de dar apoio, conselhos, e arrancar sorrisos.
    Espero que tenha um terceiro livro, e que possa mostrar o amor de Lucille pelo Digby se concretizando.

    5 de julho de 2017 às 16:47 Responder
  • Karoliny Morais

    Krisna, eu nunca li a sinopse deste livro mas sempre pois ele no carrinho de compra pela a capa e sempre tirava e agora estou em um arrependimento por nunca te finalizado a compra depois da sua resenha.
    Estou muito encantada com premissa deste livro, adoro livros que traga uma mensagens por traz, sobre amizades e amores. isso nos incentiva até viver.
    AMEI TUA RESENHA BJUS

    5 de julho de 2017 às 17:30 Responder
  • Cristiane Dornelas

    Fiquei bem animada com as coisas que vi desse livro. A sinopse me deixou curiosa, mas ver mais ajudou a perceber que seria um livro que gostaria de ler.
    Esse livro parece ser muito bonito. Achei legal ver que a história mostra muitas coisas, como o valor da amizade, a coragem de deixar de fazer algumas coisas por um bom motivo e tal. Tem uns dramas fortes aí e ver que ela precisou crescer de uma vez é triste, mas mostra que a personagem é forte. Pelas coisas que teve que fazer e fez e ainda manteve uma esperança dentro de si pra continuar… Gostei disso.
    Que bom que ele causa diversas emoções também. Fazer rir e se emocionar mostra que o livro mexe com a gente.
    Acho que iria gostar. E quero só ver essa tal continuação.

    5 de julho de 2017 às 18:40 Responder
  • Lili Aragão

    Oi Krisna, tô interessada nessa história desde seu lançamento e tua resenha só aumentou minha vontade de lê-lo. Uma coisa que acho importante ao se ler um drama é criar ternura pelos protagonistas, sentir vontade de ajudar e proteger mesmo sendo personagens fictícios e só lendo a resenha já vi que vou me sentir assim ao ler o livro. Não sei como me sinto quanto as pontas soltas, espero que não sejam tão importantes afinal a continuação ainda nem foi lançada e só ansiosa demais haha. Amei a resenha e espero ler logo logo essa história também 😉

    5 de julho de 2017 às 18:59 Responder
  • raquel rodrigues

    que livro mais amorzinho, é um livro que não tem como você não se conectar com os personagens, ainda mais personagens fortes como esses, que com tão pouca idade, tendo responsabilidades de adultos, Lucille já me ganhou msm eu ainda não tendo lido o livro, e a irmãzinha dela então, e é bom sempre ter amigos que nos ajudam, nos apoiam, ate um amor platonico serve como ajuda kkkkkk, fiquei bem feliz que vai ter uma continuação, já que você citou as pontas soltas na história, espero que isso n acabe com o livro !!

    6 de julho de 2017 às 04:09 Responder
  • Luíza Fried

    Ah, não sei… não gostei tanto assim como as meninas aqui em cima. Parece legal e só. Talvez eu esteja enganada pois ver o crescimento da personagem e como ela vai lidar com tudo isso pode ser interessante mas não me chamou tanta atenção. Fiquei feliz por ter continuação por você!

    6 de julho de 2017 às 16:30 Responder
  • Alison de Jesus

    Olá, confesso que a achei a escrita da autora um pouco vaga, tudo bem que haverá uma sequência, mas em alguns pontos a leitura fica arrastada, a impressão que fica é que Laure não sabia o que escrever, mas os personagens são o ponto alto da história e vale a pena continuar acompanhando-a. Beijos.

    6 de julho de 2017 às 19:38 Responder
  • Lana Silva

    E uma pena quando esperamos um final que nos surpreenda, e que consiga fechar algumas lacunas da estória, mas que no entanto não consegue completar esta deixa, talvez, assim espero, que a autora tenha optado por isto exatamente por se ter uma continuação. Gosto muito de livros de drama, principalmente quando tem amizade, outros personagens secundários envolvidos, quero muito ter a oportunidade de ler esta obra que me cativou.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    7 de julho de 2017 às 11:31 Responder
  • Herica Lima

    Que história mais amorzinha, mesmo que tenha ficado umas pontas soltas no livro! meio chato quando isso acontece, mas tomara que isso se resolva na continuação!
    Achei a sinopse super linda e fofa e essa capa? Maravilhosa mesmo!

    8 de julho de 2017 às 22:39 Responder
  • pamela mendes

    Eu amei essa capa, mas tinha perdido a vontade de ler ele. Li muitas resenhas negativas dele e acabei desanimando. Mas pelo jeito o livro é muito bom sim! Eu acho esse enredo muito interessante e parece ser um livro muito emocionante. Só é uma pena que o livro tenha deixado muitas lacunas, eu também achava que era livro único…
    Bjss ^^

    11 de julho de 2017 às 23:01 Responder
  • Gabriela Souza

    Oi! Que bom que esse livro vai ter uma continuação e assim vai preencher as lacunas que ficaram pendentes nesse primeiro volume. A capa é linda, e a história deve ser bem tocante! Quem bom que a autora conseguiu escrever a história de forma leve a ponto de nos fazer rir! Pretendo ler. beijoss

    13 de julho de 2017 às 19:05 Responder
  • Marta Izabel

    Oi, Krisna!!
    Muito legal a sua resenha, gostei muito da premissa do livro e bom ver na narrativa da estória que a Lucille mesmo tendo sido abandonada pelos pais não ficou inteiramente só para resolver tudo, é bom ver um livro onde os amigos se ajudam uns aos outros. E espero sinceramente que a continuação sai logo!!
    Beijoss

    17 de julho de 2017 às 01:51 Responder
  • Bruna Bento

    Achei a capa e a edição lindas!
    Mas a história nao me cativou tanto nao! Achei meio fraquinha :/
    E detesto livro q tem essas continuações desnecessárias, que dava pra ter sido encerrado no primeiro. Nessa vida nao dá pra ler todos os livros que queremos, então temos que priorizar e esses eu já descarto logo!

    20 de julho de 2017 às 03:41 Responder
  • Daniele Amorin

    Oii Krisna, legal acompanhar sua resenha, ainda não tinha lido nada sobre esse livro mas mesmo assim não imaginava que fosse esse tipo de história. Eu particularmente sou mais virada p/ o lado do romance, e apesar de que, pelo que eu entendi, aqui têm sim um pouco, da protagonista com o rapaz que a ajuda e têm namorada (vixi!), eu não me vejo lendo esse tipo de livro, pois o foco principal não é o romance. Porém, achei legal sim a premissa, acho que quem busca refletir sobre alguns aspectos da vida e ainda ter uma leitura mais tranquila, esse me parece uma boa pedida!
    Pelo visto a mocinha e muito admirável e altruísta, e é bom personagens assim como protagonistas, são inspiradores…Uma pena o livro ter deixado pontas soltas no final, sei bem como isso é frustante…espero que o próximo supra isso,se bem que dá até um medo né, visto que não é a mesma protagonistas,mas aguarde…

    Bjoss

    22 de julho de 2017 às 01:19 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna,
    Achei a premissa bem diferente, voltada para o amadurecimento e que muitas vezes a vida nos dá algo bem diferente do que planejamos. Também não gosto de lacunas abertas e que bom que terá um segundo livro (tomara mesmo que sejam fechadas).
    Beijos

    25 de julho de 2017 às 11:40 Responder
  • Isabela Carvalho

    Oi Krisna 😉
    Confesso que apesar de conhecer o livro de vista pelo mundo literário, ele nunca tinha me chamado muito a atenção, nem despertado minha curiosidade.
    Mas gostei da sua resenha, e com essa premissa diferente, sem dúvida deve ser um bom livro.
    Da pra ver que a história da Lucille é tocante e desperta várias emoções no leitor, só por isso vou dar uma chance ao livro, então obrigada pela sua indicação!
    Bjos

    31 de julho de 2017 às 14:35 Responder
  • Deixe uma resposta