Siga nossas redes:

Resenha – Esqueça o amanhã

Publicado em 12 de abril de 2017
- Sem classificação
Livro: Esqueça
o Amanhã | Autor: Pintip Dunn |
Lançamento: 2017 | Editora: Galera Record  Páginas: 384 | Classificação do Skoob: 3,9 | Onde comprar: Submarino | Saraiva
*Livro
do acervo pessoal
Esqueça o Amanhã
foi um livro que me despertou muita curiosidade quando li a sinopse. Achei a
premissa interessante, fiquei com aquela sensação de que o livro prometia uma
aventura surpreendente e de tirar o fôlego. O arremate final veio quando vi a
capa, gente, que capa mais linda! Então eu li o livro… E minha opinião mudou.

 Quando
a gente lê a sinopse, coisa que confesso não fazer com frequência, a gente fica
com a ideia de que o livro é uma espécie de distopia fantástica ou algo do
gênero. No livro a história se passa em uma sociedade futurística que desenvolveu uma
maneira de receber, no presente,  uma ‘memória
do futuro’. Essas visões determinam todo o curso da vida do sujeito, pois, se a
pessoa se vê como uma professora de matemática, por exemplo, mas na verdade
gostaria de ser atriz e estuda para isso, ela larga tudo e passa a viver de acordo
com todas as condições que a levem a realizar aquela visão. Entendem? Não
importa se ela quer aquilo, se ela acredita naquilo. Se aparece na memória,
impreterivelmente precisa acontecer na vida real.

“Às vezes parece que passei a minha vida inteira
esperando fazer 17 anos. Meço meus dias não pelas experiências, mas pelo tempo
que resta até receber minha memória, a memória, aquela que deve dar significado
à minha vida”.

Callie
é uma adolescente muito apegada à família e que sonha ser uma chef de cozinha. Ao
completar 17 anos ela passa por todo o processo para receber a tão sonhada
visão do futuro, mas o que vê acaba se tornando seu pior pesadelo. Callie
descobre que, em um futuro não tão distante assim, será a responsável pelo
assassinato da irmãnzinha. Sim, aquela menininha por quem a protagonista é
loucamente apaixonada. Com medo de que a visão de fato aconteça, Callie se
entrega para as autoridades e é enviada para a prisão, uma espécie de limbo que
acomoda aquelas pessoas que cometeram um crime em sua visão, mas que até o
momento não fizeram mal a ninguém.

“- Você não terá direito a um advogado – diz o
policial. – Não será julgada em um tribunal. Sua memória futura serve como
indiciamento, julgamento e condenação”.

Acontece
que enquanto está trancafiada e passando por experimentos dolorosos, Callie conhece outras meninas que estão em condição semelhante, e
descobre que nem tudo é exatamente o que parece. A caça pelas pessoas ‘anormais’
– aqueles sujeitos que desenvolvem algum tipo de habilidade paranormal – vai tomando
uma forma cada vez mais cruel e misteriosa, e isso acaba motivando a
protagonista a fugir do limbo, e sair em busca de respostas.

A
fuga acontece com a ajuda de Logan, um jovem que anos atrás era um amigo
querido de Callie, mas que passou a ignorá-la depois de um acontecimento que
mudou para sempre o curso da vida do jovem. A princípio Logan deveria ter um
papel muito pontual na fuga, mas por conta de algumas complicações os dois
acabam se aproximando, e a partir daí passam a enfrentar juntos diversas
desventuras, com o objetivo de entender toda a conspiração que gira em torno
dessas ‘memórias do futuro’, os dois também fazem de tudo para impedir que Callie acabe matando
sua irmã.
Como
disse, super me interessei pela premissa. Mas durante a leitura a história foi
me decepcionando, não porque ficou aquém do que eu imaginei – na verdade gostei
da ideia da autora – mas porque o romance acabou tomando um espaço muito
grande, quando na verdade deveria ter ficado em segundo plano. Aqui as questões
políticas, a luta pela sobrevivência, a batalha em busca de respostas, as
intrigas e toda a questão da paranormalidade deveriam ser pontos principais da
trama. E tudo isso acontece, mas acaba perdendo o brilho porque a protagonista
se transforma numa ameba apaixonada, daquele tipo que esquece o próprio nome
quando está perto do carinha com costas largas e sorriso bonito.A luta pela sobrevivência deixa de ser o foco. A necessidade de desvendar os mistérios ou a importância de mudar o futuro que foi determinado deveriam perdem a força nesta história.

“A esperança, por mais irracional que seja, é uma
coisa poderosa. Quando as probabilidades estão contra nós, quando a batalha
parece insuperável, pode ser que só a esperança nos faça continuar”.

O
livro é ruim? Não achei. Mas me senti enganada, esperando uma coisa e recebendo
outra. Esperava um desenvolvimento maior envolvendo a sociedade retratada,
queria saber mais sobre as habilidades dos paranormais e sobre o que acontece
quando eles lutam para que suas visões do futuro não se realizem. O final com
um plot twist (previsível, diga-se de passagem) deixa a ideia de que, talvez, o
próximo livro seja mais interessante, e sinceramente eu torço por isso. Esqueça o amanhã foi minha segunda
decepção de 2017, e a autora precisa fazer melhor que isso para que a série
venha a valer a pena. Se indico o livro? Sim, claro. Mas aconselho que, quem
tenha interesse em ler, vá sem muitas expectativas. E que tenha muito claro em
mente que existe um romance que tende a ser enfiado forçadamente goela abaixo.

 

Você também poderá gostar de

12 Comentários

  • Lili Aragão

    Oi Krisna, eu assim como você tinha visto, capa e a sinopse desse livro e achado bem interessante, mas como ainda não tinha ouvido falar autora, esperei pra ver resenhas do desenvolvimento e pelo visto foi uma decisão acertada, pelo menos agora sei o que esperar quando resolver ler. Eu até gosto de um romance mas também acho que ele não deveria ser o foco nesse livro… Ainda tô interessada na história, porém acho que vou aguardar e ver como se desenvolvem os próximos livros 😉

    12 de abril de 2017 às 17:00 Responder
  • Alessandra Fernandes

    Esqueça o Amanhã tem sim, capa e sinopse incríveis. Gostei da forma como a autora criou a história, com visões sobre o futuro de cada membro da sociedade e pessoas com poderes sobrenaturais. O livro tinha tudo para me conquistar, mas quando você disse que a autora desviou do caminho e foi focando completamente no romance, eu desanimei.
    Quando a editora lançar o próximo livro vou aguardar ansiosa por sua resenha e claro, por boas notícias.
    Bjos, Krisna!

    12 de abril de 2017 às 17:12 Responder
  • Marlene Conceição

    Oi Krisma.
    Eu entendo o seu ponto de vista e sua frustração, e mesmo sem ter lido concordo com você, em livros assim seria normal o romance ficar em segundo plano e não ser o foco principalmente da trama, eu adorei a capa e a sinopse, mas confesso que agora estou relutante em ler.
    Bjs.

    12 de abril de 2017 às 17:45 Responder
  • Ludyanne Carvalho

    A capa me lembra muito a capa de Bela redenção; e realmente é espetacular.
    Gosto das sinopses, muitos livros me encantam pela sinopse.
    Sobre Esqueça o amanhã, não é um gênero que me chama muito a atenção, Mas fiquei curiosa pra saber em relação a essas memórias, se de fato o que eles veem acontece, se tem como mudá-las… Detalhes que só deve aparecer no próximo livro né. :-/
    Que suas próximas leituras não te decepcione, Krisna.

    12 de abril de 2017 às 18:17 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna
    Geralmente quando leio a sinopse me decepciono. Querendo ou não a gente acaba criando expectativas ou interpretando que o autor irá tomar um caminho (e muitas vezes toma outro). Pelo visto a autora tinha a faca e o queijo na mão mas deixou de lado. Também achei que o romance deveria ficar em segundo plano, afinal a premissa das visões do futuro é muito boa e diferente.
    Beijos

    12 de abril de 2017 às 19:21 Responder
  • Cristiane Dornelas

    A premissa dele é bem legal mesmo, mas que pena que o romance acabe ofuscando muito da história. Gosto quando fazem mais da trama em si do que um romance, quando é um tipo de livro assim. Tem tanta coisa para se trabalhar! A história parece poderia ser bem rica porque tem muito espaço para criar, essa luta pela sobrevivência para se ter em conta e etc. Talvez ao ler não ligasse muito pra isso, mas fica um tantinho chato mesmo quando colocam um romance ali e a trama meio que se perde nisso =/
    Mas acho que iria gostar de ler. É só não ir com aquela expectativa enorme né…

    12 de abril de 2017 às 21:17 Responder
  • Caroline Garcia

    Achei super interessante a premissa desse livro também. Uma pena que tenha deixado a desejar com a história.
    A história parece ser tão daquelas que consegue prender o leitor 🙁
    Confesso que minha curiosidade está ativa ainda, mas caso eu tenha a oportunidade de ler a obra, já fico com um pé atrás, para futuras não decepções rs
    Beijos,
    Caroline Garcia

    12 de abril de 2017 às 22:49 Responder
  • Leonora Oliveira

    É compreensível a sua decepção. Eu também não ficaria nada satisfeita em esperar algo de uma história e depois de algumas páginas, ela tomar um rumo diferente, focando em um gênero que não seria de grande necessidade na trama, sendo que essa história é cheia de aventuras e suspense.
    A história tinha tudo para ser sensacional.
    Beijos, Krisna!

    13 de abril de 2017 às 00:07 Responder
  • Priscila Tavares

    Oi Krisna, tudo bem?
    Antes de mais nada saiba que eu também não sou de ficar lendo sinopses. Na verdade, sempre escolho um livro por indicação, ou porque achei a capa ou o nome interessantes. Não rolou química entre mim e esse livro, Esqueça o Amanhã. Apesar de curtir o gênero, achei meio chatinho.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    16 de abril de 2017 às 23:58 Responder
  • Kris Soares

    Oi, não sou muito fã do gênero, mas me arrisco de vez em quando para mudar um pouco. Sou louca mesmo é por romances, e talvez por isso nunca acho que tem romance de mais em uma historia rsrs, adorei a ideia da autora, nunca li nada parecido. Mesmo assim não sei se vou ler, é livro de mais pra pouca vida, vai ficar na lista do "talvez um dia" quando estiver precisando ler algo diferente.
    Beijjos

    20 de abril de 2017 às 09:28 Responder
  • Leituras da Ketellyn

    Eu coloquei esse livro na minha lista por causa da sinopse, essa é a primeira resenha que leio dele e confesso que não fiquei feliz em saber que o romance ocupa muito espaço, achei deveria ter mais aventura e o romance seria pouco, mas mesmo assim ainda pretendo dar uma chance.

    29 de abril de 2017 às 23:31 Responder
  • suzana cariri

    Oi!
    É realmente bem chato quando um livro acaba nos decepcionando, ainda mais com uma premissa e uma capa tão interessante, achei a historia diferente e gostei muito desse enrendo que a autora cria e gosto quando se tem um romance na trama, mas é muito chato quando só tem isso e a historia só se foca nisso, ainda mais com um universo tão interessante !!

    1 de maio de 2017 às 17:54 Responder
  • Deixe uma resposta