Siga nossas redes:

Resenha – Esperando a hora da Stella

Publicado em 22 de junho de 2017
- Circuito, Contos/Poesia

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA pessoas que gostam de poesia, contos e crônicas, para quem curte fotografia e para quem aprecia todos os sentimentos que podem conter em uma imagem.

Olá, pessoal! Hoje trago mais uma dica de leitura rapidinha, especialmente para quem gosta de obras com um estilo diversificado de narrativa, pois essa é a proposta da autora Maria Dolores em seu livro Esperando a hora de Stella.

Para contar sua história – de uma nordestina que sai da terra natal em busca de melhores oportunidades na ‘cidade grande’ – a autora coloca o leitor também na posição de embarcar em jornadas. A primeira acontece quando chegamos no Rio de Janeiro e observamos a cidade maravilhosa sob a perspectiva de alguém que reconhece ali alegrias e tristezas, belezas e feiuras, esperança e desespero. Acredito que seja um olhar interessante não somente para quem não conhece a cidade, mas também para quem mora ou já esteve ali, e que através desta leitura encontra a possibilidade de revisitar o lugar utilizando um panorama diferente.
Ao explorar cenários diversos a autora conta sobre a contradição que pode ser observada no Rio de Janeiro, e em como apreensão dessa característica pode ser transformadora para quem vive ali. Em vários pontos do livro me reconheci, pois, assim como a autora, eu também sou uma nordestina que decidiu se aventurar na imensidão de uma cidade com o poder de nos engolir por inteiro. A frieza, o medo e desconfiança contaminam, e muitas vezes travestidas de timidez podem nos fazer perder oportunidades incríveis. Mas o lado bom existe e a gente aos poucos começa a perceber que algumas características das grandes cidades são capazes de transformar pequenas vivências em momentos inesquecíveis, daqueles que a gente leva para a vida. Isso é lindo de ver e experimentar.

 

 

A segunda jornada, que mantém uma relação simbiótica com a primeira, acontece quando o leitor transita entre estilos que vão desde o desabafo que se faz quando o coração aperta, passando por contos e crônicas até chegar a fotografias caleidoscópicas que mostram imagens significativas, seja de trabalhos artesanais realizados pela autora ou de detalhes encontrados no consultório de sua analista.
Esperando a hora de Stella é um livro lindo, poético e muito humano. O título do livro, aliás, se relaciona não somente com a obra de Clarice Lispector (A Hora da Estrela, que conta a história de Macabéa e com a qual a autora se identifica), mas faz referência também aos momentos dedicados a analise, as possibilidades que surgem a partir dessa espera e do encontro que acontece ali, com o outro e consigo mesmo.

 

 Outras fotos:

 

 

 

 

 


Livro: Esperando a hora de Stella
Autora: Maria Dolores Wanderley
Lançamento: 2016
Editora: Circuito
Páginas: 77
Sinopse: Marcado sempre pelo amor e pelo estranhamento, o livro Esperando a hora da Stella, sem nunca perder uma notável unidade de tom (derivado de um olhar sensível e maduro,  acostumado a observar e a se auto-observar) constitui-se de breves memórias, em diferentes suportes (poemas, contos, crônicas, fotografias) do percurso artístico da poeta Maria Dolores Wanderley pela cidade do Rio de Janeiro.

 

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Caroline Garcia

    Parece ser uma leitura leve, rápida e gostosinha!
    Não conhecia a obra ainda e fiquei encantada pela edição. Parece estar bem caprichada!
    Fiquei curiosa para conhecer e embarcar nessas jornadas. A história parecer ser muito boa.
    Beijos
    Caroline Garcia

    22 de junho de 2017 às 21:54 Responder
  • rafaela

    O livro é super curtinho, e parece ser uma leitura bem rapidinha mesmo. O livro é super lindo, e a história dele parece muito legal. Achei muito interessante mostrar o Rio de Janeiro dessa forma, eu não conheço a cidade, e acho que vou gostar de conhecer um pouco pelo livro. Achei interessante mostrar essas jornadas. Esse não é o tipo de livro que eu costumo ler, mas fiquei muito interessada nele 🙂

    Beijos!

    25 de junho de 2017 às 14:54 Responder
  • laura

    nossa e uma historia bem curtinha rsrs e bem legal para elr amei a capa achei fofa
    parce ser bem legal e uma aventura pelo que vi ne
    beijinhos

    25 de junho de 2017 às 19:45 Responder
  • Marília Leocádio

    Uma graça de leitura que faz com que o leitor viaje na grande Cidade e conheça o que tem de melhor, adorei conhecer.
    Abraços!!!

    26 de junho de 2017 às 13:35 Responder
  • pamela mendes

    A história é super curtinha mesmo! Eu gosto de ler livros curtinhos assim de vez em quando, e esse é o tipo de livro que tenho certeza de que vou amar. Achei bem interessante essas duas jornadas, e acho que vou gostar muito dessa história. Adorei a dica *-*
    Bjss ^^

    27 de junho de 2017 às 00:16 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna,
    Adorei a dica, gosto de livros rápidos e dinâmicos para ler entre um livro e outro.
    Achei a edição uma fofura e as fotos caleidoscópicas uma maravilha.
    beijos

    28 de junho de 2017 às 13:52 Responder
  • Marta Izabel

    Oi, Krisna!!
    Que livro mais legal gosto de ler as vezes um livro mais leve para arejar a cabeça depois de um livro mais pesado e nada melhor que um livro mais curto para fazer relaxar!!
    Beijoss

    29 de junho de 2017 às 02:34 Responder
  • Karoliny Morais

    Parasse aquele livros leve e gostoso pra si ler depôs de uma ressaca literária .
    Alem de ser uma edição linda que você tem prazer de ter na estante .
    Obrigada pela dica

    30 de junho de 2017 às 15:01 Responder
  • Milena Moreira

    Hey,

    Achei muito bonita a capa e as as imagens, mas não chamou muito minha atenção. Acho que é porque estou fugindo um pouco de livros assim.

    30 de junho de 2017 às 22:43 Responder
  • Carolina Oliveira

    Assim como vc me identifiquei com o livro! Sou nordestina e agr estou morando no RJ. Além disso, adoro livros nacionais. Fiquei com mta vontade de n só ler este livro, mas tê-lo na minha biblioteca particular 🙂

    1 de julho de 2017 às 01:57 Responder
  • Deixe uma resposta