Siga nossas redes:

Resenha Dupla – Corte de Névoa e Fúria

Publicado em 8 de dezembro de 2016
- Sem classificação

Livro: Corte de Névoa e Fúria
Autora: Sarah J Mass
Lançamento: 2016
Editora: Galera Record
Páginas: 658
Classificação do Skoob: 4,8
Onde comprarAmazon | Extra
*Livro do acervo pessoal
Corte de Névoa e Fúria é aquele tipo de livro que
tem muitas informações que precisam ser de conhecimento do leitor apenas no
momento da leitura. É aquele tipo de história que conta com tantos fios que vão
sendo amarrados que soltar qualquer tipo de spoiler pode fazer com que o
encanto e surpresa sejam menores, que a narrativa perca um pouco seu brilho.
Pensando nisso resolvemos, ao invés de fazer uma resenha tradicional, colocar nossas
impressões acerca da leitura, pensando mais nos sentimentos despertados do
que sobre informações da narrativa. 

A leitura foi realizada ao mesmo tempo pelas duas
fãs, então ao invés de um post individual, resolvemos dividir o espaço. Afinal,
esse livro merece um cuidado diferenciado.
Gabi:
Oi gente! Para não correr o risco de soltar informações desnecessárias sobre o
livro, eu e Mara decidimos apenas tecer comentários e atiçar a curiosidade de
vocês a respeito dos livros da Sarah J. Mass, mas especificamente do Corte de Névoa e Fúria, continuação de Corte de Espinhos e Rosas.
Acho
que todo mundo tem aquela série favorita que quando termina o primeiro livro
quer logo a continuação, só para quando chegar ao último livro não querer que
acabe de jeito nenhum… Se a serie fosse infinita, seria um desejo sendo
realizado.
Aconteceu
comigo anos atrás com Harry Potter, e acontece recentemente com os livros da
Sarah J Mass. Sarah é autora de duas séries fantásticas de fantasia, Trono de Vidro e Corte de Espinhos e Rosas. Se fôssemos falar das duas séries
renderia uma discussão enorme e provavelmente com spoilers respingando em todos
os lugares. Então vamos apenas focar no último livro lançado pela Galera Record,
Corte de Névoa e Fúria.
Vou
começar citando o Augustus Waters, para definir essa série e Trono: “Estou em
uma montanha-russa que só vai para cima, meu amigo.” É
isso mesmo gente, essa frase define bem as séries da Sarah e se aplica
perfeitamente à Corte. Os livros só vão melhorando, quando penso que atingi ao
clímax, descubro que ainda tem mais quatro livros pela frente. Muita coisa para
acontecer, muitas cabeças a rolar, incluindo a minha.
O
mais legal da Sarah, principalmente nesse livro, é que ela consegue tornar o desenvolvimento
dos personagens o mais real possível, suas emoções, como eles irão passar por
determinado momento, seja ele ruim ou não e consequentemente como eles crescem
a partir disso. A
autora também consegue magistralmente inserir algumas noções nas nossas cabeças
durante toda a leitura, para depois desmoronar tudo o que estávamos pensando,
ela exerce uma magia poderosa nessa sentindo. Sempre caio na armadilha, e amo
isso. Ser surpreendida nos dias de hoje, aonde muitos livros são parecidos uns
com os outros, é maravilhoso. 

Se
os livros da Sarah não estão na sua lista de must reads, faça um favor a você
mesmo e o coloque nela, urgente! Como esse é o tipo de livro que você só quer
falar e falar, acho melhor parar por aqui e deixar a Mara falar rs. 

Krisna: Oi,
pessoal. Sou fã assumida de fantasia e embarcar na jornada que é uma leitura
das obras da Sarah é, sem dúvidas, um dos meus passatempos favoritos. Nesse
livro a autora conseguiu provar que é aquele tipo de escritora muitíssimo capaz
de melhorar uma sequência. E ela vem nessa constante, tornando cada livro
melhor que o outro. Nesse segundo volume da série, começamos com diversas
dúvidas: O que está de fato acontecendo com Feyre? O que se passa na cabeça de
Tamlin? Quando Rhys vai aparecer e mudar o foco do jogo?
Confesso
que fui uma das poucas pessoas que conheço que não se apaixonou pelo Rhys no
primeiro livro. O lago obscuro dele me despertava desconfiança, deixando sempre
uma sensação de que nada que ele fazia era sem motivo. Bom, neste livro isso
fica muito claro. Todos
os personagens têm seu momento de destaque, nos fazendo acreditar que a autora
teve cuidado de escrever sobre pessoas que fizeram, fazem ou farão diferença de
alguma forma. Ninguém é meramente figurante, portanto fique esperto. Outro ponto que ficou muito evidente, foi a tentativa da autora de mostrar que nem tudo é o que parece. Opiniões formadas no começo da história aqui caem por terra. Nem tudo é o que parece, repito.
Esse livro
tem uma narrativa que oscila entre frenética, angustiante, emocionante,
embriagante e alucinada, e fica numa espécie de loop até a última página.
Máscaras caem, as boas e as ruins. Alianças são formadas, promessas são feitas,
e o leitor fica com o coração na mão quando tudo termina. Eu
ri, chorei, senti o coração expandir com o amor a ponto de não caber no peito.
Senti-me entretida como há muito não me sentia lendo uma fantasia e essa, embora use
elementos comuns em obras do estilo, em momento algum deixa no leitor a sensação
de já ter visto algo daquilo. A autora é magistral e começa a amarrar fios que
deixou soltos no primeiro livro, ao mesmo tempo em que permite o surgimento de
novas teorias e possibilidades que são capazes de explodir a mente de um leitor
mais ansioso.

 Além
disso, outro ponto que me chamou a atenção e me deixou curiosa, foi ter
encontrado alguns pontos muito semelhantes com o que acontece na outra série da
autora. Teria sido de propósito? Será que sem querer as histórias se misturaram na
cabeça dela? Esses mundos vão colidir em algum momento?
Deixo
a pergunta no ar. E um conselho: se gosta desse estilo literário, Sara J. Maas
PRECISA se tornar sua autora de cabeceira. Se por acaso tem problemas em lidar com ansiedade, tenha muito cuidado ao embarcar nessa jornada cheia de sombras, luz,
asas, força e ironia. Esse é o tipo de história que tira do sério até os
leitores mais centrados. E muita coisa boa está por vir, só precisamos esperar.
Beijo,
Leitoras
Inquietas

Você também poderá gostar de

Deixe uma resposta