Siga nossas redes:

Resenha – (Des)Nu(Do)

Publicado em 24 de março de 2017
- Sem classificação
Livro: (Des)Nu(Do) | Autor: Thássio
G. Ferreira | Lançamento: 2016 | Editora: Ibis
Libris | Páginas: 84 | Classificação do Skoob: 5,0 | Onde comprar: Site da Editora | Livraria Travessa
*Livro cedido em parceria com a
agência Oasys Cultural
Olá, como vocês estão se sentindo hoje?
Eu estou aqui, refletindo sobre minha última
leitura e pensando no seguinte: vocês apreciam poesia? Vocês gostam de senti-la
chegar de mansinho – ou nem tanto – e se emaranhar por entre os pensamentos e
sentimentos? Eu adoro. Não falo só dos versos poéticos, embora esses também me
agradem. Falo da poesia no sentido figurado, do tipo que encanta a ponto de
tocar a alma. O tipo que a gente encontra nos livros queridinhos, sim, mas
também nas fotografias bem feitas, na música que alcança o coração, naquele pôr
do sol que se torna inesquecível. Esse tipo de poesia me comove e me inspira, e
o livro de hoje está repleto dela.

(Des) Nu (do) é um livro de poemas, pouco mais de
50. Eles falam sobre diversos temas, ou pelo menos assim eu percebi. Acredito
muito que a forma que enxergamos um poema é influenciada pelo momento em que o
lemos, penso que talvez isso valha para qualquer tipo de leitura. A maneira que
absorvemos  o que é dito pode ser influenciada pela nossa subjetividade,
pelos sentimentos que estão aflorados no instante em que nossos olhos deslizam
pelas páginas. Neste livro, meu primeiro contato com o trabalho do autor, eu
encontrei poesia em versos que falavam sobre o amor, a solidão, a entrega, a
saudade, o permitir ser quem se é, a dureza da vida contemporânea. Alguns
escritos são simples, singelos, outros mais elaborados, como quem brinca com
as palavras com o intuito de atingir algum órgão vital. E se esse foi o intuito
do autor confesso que  ele conseguiu.
 
Thássio G. Ferreira demonstra muita sensibilidade
nos textos. Desnuda, como o próprio título sugere, uma alma que aparenta ser,
ao mesmo tempo, caos e mansidão. O poeta traduz, em linhas poucas, sentimentos que
às vezes não temos forças pra exteriorizar. Mas aqui é possível, é seguro, pois
quem fala é a poesia.
  
DESPETALAMENTO
O ruído das fotos,
A dor lancinante do tempo
Que nos trespassa a cada momento,
Os sonhos, as lembranças,
Delírios, negações,
expectativas
são tudo flor
a se despetalar
em nós
[…]

Este é um livro curto e que pode ser lido
rapidamente de maneira seguida, absorvendo cada trecho e apreendendo tudo
aquilo que ele pode nos dizer. Ou, como fiz, pode ser lido de maneira mais
pausada e aleatória, apreciando o que cada página reservou para o momento,
depende exclusivamente de quem lê. Confesso que adorei a experiência, da forma
que fiz. Sou uma romântica incorrigível, e percebo que ultimamente tenho
dedicado bastante tempo de leitura aos romances. Busco sempre aquele toque de
sedução, de gentileza, de verdades bem ditas e frases de efeito – daquele tipo
que permanece em nossas mentes e corações mesmo após a leitura. Embora não seja
um romance desse tipo, (Des)Nu(Do) despertou em mim tudo isso. E, talvez, até um pouco
mais.
 

Recomendo a obra para todos os leitores e leitoras
inquietas que gostam de poesia, em suas diversas formas. Aconselho manter
material para anotações sempre por perto. Se (Des) Nu (Do) for capaz de
alcançar o coração de vocês como alcançou o meu, a leitura vai despertar muitos
sentimentos, e um deles é uma vontade enlouquecida de brincar de poeta.


SEM TÍTULO I

“A brevidade
de cada  momento
de silêncio
pulsa eternidades”
[…]

Você também poderá gostar de

46 Comentários

  • Sara Kerolen

    olá *-*

    ultimamente não tenho lido nada de poemas mais achei esse interessante quem sabe com esse eu volte né, resenha otina parabéns.

    bjj

    25 de março de 2017 às 21:51 Responder
  • Amanda balãodaleitura

    Olá tudo bem ?
    Eu não sou muito de ler poemas pois não entedi nada rsrs.
    Mais amei sua resenha muito bem feito .

    25 de março de 2017 às 22:18 Responder
    • Krisna Carvalho

      Amanda, obrigada pela visita!

      Fica tranquila, acho que no caso é mais questão de sentir do que de entender. Afinal, cada um pode aplicar o próprio sentido ao texto 😉

      Beijo

      27 de março de 2017 às 14:31 Responder
    • thassio ferreira

      hahahaha, Amanda, nem sempre precisamos entender "tudo" para gostar. mas como toda arte, a poesia também é uma sensibilidade que se pratica… Lá no início da resenha a Krisna deu os links de onde comprar o livro pela internet, se quiser praticar sua "leitura poética", e na minha página no facebook (https://www.facebook.com/thassioescritor/) eu tenho postado poemas do livro e inéditos, curte lá! beijos!

      28 de março de 2017 às 02:51 Responder
  • Larissa Oliveira

    Oi!
    Não sou fã de poemas por isso não costumo oa ler mas admito que vira e mexe surge um que se infiltra em minha mente e não sai mais, seja pela sua beleza, por me fazer refletir ou qualquer outro motivo. Assim, gostei muito da sua avaliação dos poemas dessa obra, pois conseguiu despertar minha curiosidade e me deixou com a sensação de que são poemas que valem a pena serem lidos.
    Beijos!

    26 de março de 2017 às 07:36 Responder
  • Saga Literaria

    Olá Krisna, tudo bem?

    Não conhecia a obra, eu gosto bem de poemas, mas ultimamente estou lendo poucos poemas e poesias. Gostei da sua resenha, deu para perceber que ficou envolvida com a obra e gostou muito. Dica anotada!
    Beijos

    26 de março de 2017 às 14:59 Responder
  • Luana Alves

    Olá!
    Primeiro, que fotos mais lindas, parabéns!
    Os quotes separados estão lindos também, dá pra perceber a sensilibilidade do poeta transcrita.
    Sucesso ao Thassio.
    Bjsss
    Luana

    26 de março de 2017 às 15:46 Responder
  • Book Obsession Resenhas

    Olá!
    Adoro livro de poesias apesar de estar lendo poucas no momento.
    Achei o livro belíssimo, parece ser inspirador!
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    26 de março de 2017 às 15:56 Responder
    • Krisna Carvalho

      Camila, tudo bem?

      Obrigada pela visita! E de fato, tens razão, a leitura foi por demais inspiradora!

      Beijo

      27 de março de 2017 às 14:37 Responder
    • thassio ferreira

      Oi, Camila e Krisna, que legal ver vocês se inspirando no (DES)NU(DO)!!! O mais legal para mim é quando alcanço outras sensibilidades com minha poesia… A Krisna deu os links de onde comprar o livro pela internet, você viu, Camila? E na minha página no facebook (https://www.facebook.com/thassioescritor/) tenho postado poemas inéditos também! Muitas chances de você se inspirar… 😉
      beijos!

      28 de março de 2017 às 02:54 Responder
  • Meu mundinho quase perfeito

    Que fotos lindas !😍

    Eu não sou muito de ler poemas.Até gosto de alguns ,principalmente do Carlos Drummond de Andrade .

    Acho que mei gosto poema depende muito do meu estado emocional como você disse em sua resenha.

    Beijos

    26 de março de 2017 às 16:07 Responder
    • Krisna Carvalho

      Olá!

      Acho que qualquer leitura vai ser avaliada por nós dependendo muito do estado de espírito.. Já aconteceu comigo, por exemplo, de amar ou odiar uma obra em determinada época. Reler tempos depois e sentir o contrário. Ser humano é bicho complicado mesmo, né? rs

      Beijo

      27 de março de 2017 às 14:40 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna!
    AMO poesia! Eu até escrevia várias quando era pequena (fiz até um livrinho). Pra mim também é maravilhoso ler aos poucos, entre um livro e outro. Para dar uma relaxada na mente sabe?!
    Beijos

    27 de março de 2017 às 13:46 Responder
  • Grazi Souza

    Eu não me dou muito com poemas. Sou ruim de entender a maioria, sabe? Hahahaha. Vou ver numa livraria se acho esse e me conecto com algum. Anyway, adorei suas fotos!

    27 de março de 2017 às 17:41 Responder
    • thassio ferreira

      Oi, Grazi, tudo bem? Lá no início da resenha a Krisna deu os links de onde comprar o livro pela internet, você viu? 😉
      No Rio de Janeiro, ele também está disponível na Livraria da Travessa e na Blooks Livraria. Depois me conte o que achou do livro e quais seus poemas preferidos! 😀
      beijos!
      (p.s.: eu também adorei as fotos que a Krisna tirou com o livro, ficaram instigantes, não?!)

      28 de março de 2017 às 02:57 Responder
  • pausado tempo

    Obrigada pelo lindo texto e pela boa leitora que você é. Beijos, querida Krisna

    27 de março de 2017 às 18:00 Responder
  • Ana Luisa Ricardo

    Boa tarde! tudo bom?
    Quando li o título do livro, não sei o motivo, mas pensei
    que se tratasse de um romance hot.
    Mas depois entendi o porquê do título associado a um livro de poesia, escrever poesia é mesmo se desnudar. Adoro poesia!

    27 de março de 2017 às 18:38 Responder
  • Maria Valéria

    amo poemas/poesias… naõ conhecia essa obra nem o autor, mas duas dessas quotes me agradaram demais…
    se tiver chance, leio… ^^
    as photos da postagem estão lindas, bem harmoniosas…parabéns ^^

    28 de março de 2017 às 15:24 Responder
  • Fabrica dos Convites

    Oi Krinsa, não tinha visto o livro ainda, e como gosto de poesias, com certeza vou anotar sua dica. Até a forma de ler, vou pensar nesta leitura aleatória quando for ler.
    Bjs

    29 de março de 2017 às 02:29 Responder
  • Girlene Viey

    Como sempre fotos bastante lindas
    Sobre a resenha, eu não costumo ler livro de poemas, só leio alguns pela internet mesmo.
    Seria novidade para mim apreciar uma leitura assim. Achei no inicio que não se tratava de livros de poesias, fiquei bastante surpresa quando soube.
    O que mais gosto de poemas são as reflexão sobre cada versos, espero que (Des) Nu (do) traga essa sensação. Eu não conhecia o autor, espero muito que tenha bastante sucesso e os poemas possa fazer as pessoas refletir e emocionar.

    29 de março de 2017 às 15:30 Responder
  • Gabriela Rosa

    Olá, tudo bem?

    Não sou muito de ler poesia, não me atrai muito sabe? Ou talvez eu não consiga entendê-las de verdade.

    Mas gostei da sua apresentação ☺️

    29 de março de 2017 às 15:59 Responder
    • thassio ferreira

      Oi, Gabriela, tudo bem? Muita gente acha que poesia é difícil, mas difícil mesmo é não encontrar algum poema que consiga sim nos tocar! Dê mais uma chance à poesia, rsrsrs! 😉

      bjs!

      5 de abril de 2017 às 00:49 Responder
  • Iris Pereira

    Oi,
    Confesso que não tenho o costume de ler poemas, adorei a dica de ler o livro de forma pausada. Acho uma ótima dica para quem não esta acostumado com poesias.
    Bjs!
    Fadas Literárias

    29 de março de 2017 às 17:17 Responder
    • thassio ferreira

      Boa noite, Iris! Realmente ler poesia de forma pausada faz a gente ir se envolveldo mais no universo do poeta e captar belezas e sutilezas que passariam despercebidas na correria moderna…. se quiser acompanhar alguns poemas que tenho publicado, para ver se curte, tenho a página de facebook http://www.facebook.com/thassioescritor/ e também tenho postado textos no meu instagram: @thassiof.

      "passa lá"!
      beijos!

      5 de abril de 2017 às 00:51 Responder
  • Mary Pires

    Oii, tudo bem?
    Tenho que lhe confessar que esse não é o tipo de livro que eu costumo ler, não que eu não goste, apenas não leio muito poemas e poesias. Mas gostei bastante da forma que você expos o conteudo do livro, sua resenha esta muito bem escrita.
    Parabéns pelo blog.
    Abraços Mary do blog Leituras da Mary

    31 de março de 2017 às 01:46 Responder
  • Yohanna Lira

    Poemas não fazem muito meus estilo, mas fiquei curiosíssima para conhecer o livro!
    Obrigada pela dica! :*

    2 de abril de 2017 às 01:45 Responder
  • Cila - Leitora Voraz

    Oi Krisna, sua linda, tudo bem?
    Eu concordo com o que você disse, acredito que o próprio poema é a visão que o autor tem da vida, do que lhe cerca, de suas experiência e reagimos a ele da mesma forma, de acordo com o que somos naquele momento que lemos. Não costumo ler livros de poesias, mas pelo trecho que colocou gostei muito do texto do autor. Vou anotar a dica com certeza!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    6 de abril de 2017 às 01:03 Responder
  • Bruno Marukesu

    Oi, Krisna ^^
    Eu não tenho o costume de ler poesias, mas acredito que se voltasse hoje mesmo a ler iria ver com outros olhos, analisaria a cadência das estrofes criadas e pararia para refletir durante dias cada poema. Foi graças a poesia que o meu gosto por leitura se criou, hoje eu leio outro tipo de poesia mas as que estão presentes nas músicas, não nos poemas.
    Des)Nu(Do) pensei que fosse um livro de ficção então você deve imaginar a minha grande surpresa ao ler as suas impressões e me deparar com uma poesia nacional. Só posso dizer que uma parte de mim está no desejo de ler a obra em momentos de calmaria.
    Parabéns pela resenha e por estar incentivando a leitura nacional, ainda mais os poetas. ^^
    Bjs

    16 de abril de 2017 às 17:55 Responder
  • Deixe uma resposta