Siga nossas redes:

Resenha – Bom dia, Verônica

Publicado em 19 de junho de 2017
- DarkSide, Nacional, Resenhas, Thriller

LIVRO INDICADO ESPECIALMENTE PARA Leitores que gostam de histórias cheias de suspense e reviravoltas, com personagem feminina que foge dos padrões e com uma dose extra de sangue e assassinatos.

 

Olá pessoal, como vocês estão? Bom dia, Verônica foi um livro que me ganhou a princípio pela edição belíssima, algo que já virou uma espécie de padrão da editora Darkside. Em seguida me apaixonei pela sinopse e pelo mistério que envolve a desconhecida autora, e que deixa no leitor um sentimento gostoso de curiosidade e tensão. Sentindo-me assim iniciei a leitura.

O livro conta a história de Verônica, uma mulher perto dos quarenta anos, casada e com filhos, que quando mais jovem viveu uma tragédia pessoal e por conta da repercussão do caso acabou tornando-se secretária na polícia civil, no estado de São Paulo. Entre as tarefas diárias de alimentar planilhas e responder e-mails para o chefe, Verônica se vê envolvida em duas situações que despertam seu instinto investigativo.

Levantei da cama, cada músculo das minhas pernas doíam. Tomei um banho frio para ver se acordava mesmo, fiz aquela maquiagem de dez minutos e parti para enfrentar a turba íntima. Mulher é que nem índio, se pinta para a guerra que enfrenta todo dia.

Primeiro surge Marta, uma mulher que vai à delegacia fazer uma denúncia para Carvana, chefe de Verônica. Ele demonstra pouco interesse no caso, e trata Marta como se fosse apenas mais uma mulher reclamando à toa de um coração partido. Mas ela não se sente assim e em um momento de desespero joga-se pela janela da delegacia. Verônica presencia tudo e sente que deve à Marta a resolução do seu caso, escondido de todos passa a investigar. Quem partiu o coração daquela mulher, levando-a a tamanho desespero que preferiu a morte? O que significa a boca purulenta de Marta? E aquela frase dita por ela antes de se matar, que importância tem?   Verônica precisa descobrir o que aconteceu. Ela quer justiça.

Enquanto mente, manipula e faz de conta, Verônica recebe uma ligação esquisita. Do outro lado da linha uma mulher chamada Janete, que relata o medo que sente do marido. Ela acha que vai ser assassinada, assim como já acontece com as outras. Que outras? E por quê? Verônica precisa saber. Ela se sente na obrigação de ajudar também essa mulher. Pega mais esse caso para si, deixa de lado as planilhas e sai em busca de respostas.

Acordei, mas não abri os olhos. Algo instintivo, que eu trazia comigo desde a manhã em que perdi meus pais, fez com que eu soubesse que precisava escutar antes de tudo. Escutar para saber o que me esperava ao abrir os olhos. Era precaução, mas também era medo.

Enquanto se envolve cada vez mais nos dois casos, Verônica se vê diante situações que jamais imaginou viver. Envolvida numa teia de mentiras e perversão, a protagonista vai juntando as pistas que precisa para desvendar os dois casos e quando os acontecimentos começam a tomar uma proporção que ela não esperava, Verônica precisa provar para os outros e para si mesma que ela é muito mais do que uma secretária entediada, e ela faz isso mostrando que não é apenas uma mulher inteligente. Ela é fria, cruel, ardilosa, mentirosa e hipócrita. E um pouco mais.

Pode ser que as características detestáveis em Verônica tenham sido pensadas de maneira proposital, para transformá-la numa espécie de heroína com cara de anti-herói que a gente ama odiar? Talvez. É muito capaz na verdade que seja esse o caso, que a autora tenha criado uma protagonista com essas características para mostrar algo ou provar algum ponto. Eu me vejo com frequência apaixonada por vilões ou por personagens que são a epítome do desgosto, mas Verônica não foi capaz de me conquistar de forma alguma.
Bom dia, Verônica é um thriller que tem diversas facetas características do estilo. O suspense tenta se manter do início ao fim para que a tensão chegue ao leitor e para que assim ele não seja capaz de desgrudar da obra antes de ter suas perguntas respondidas. Eu senti essa tensão, mas desvendei os mistérios muito precocemente. Juntando isso ao fato de eu não ter conseguido me conectar com Verônica, uma protagonista que me causou aversão por conta do seu jeito descuidado – com os sentimentos alheios – transformou a obra em um daqueles livros que tinha tudo para ser o máximo, mas que não foi. Entretanto preciso dizer que essa é minha opinião muito pessoal. A classificação do livro no skoob – que chega perto de 5,0 – mostra que muitos leitores gostaram da narrativa, que acontece em primeira e terceira pessoa. Mesmo assim, infelizmente, no fim das contas achei o livro apenas Ok, aquele tipo de obra que não acrescenta em nada, mas que pela beleza física do exemplar merece um lugar na estante.

Autora: Andrea Killmore
Lançamento: 2016
Editora: Darkside
Páginas: 256
Sinopse: Em “Bom dia, Verônica”, acompanhamos a secretária da polícia Verônica Torres, que, na mesma semana, presencia de forma chocante o suicídio de uma jovem e recebe uma ligação anônima de uma mulher desesperada clamando por sua vida. Com sua habilidade e sua determinação, ela vê a oportunidade que sempre quis para mostrar sua competência investigativa e decide mergulhar sozinha nos dois casos. No entanto, essas investigações teoricamente simples se tornam verdadeiros redemoinhos e colocam Verônica diante do lado mais sombrio do homem, em que um mundo perverso e irreal precisa ser confrontado.  Andrea Killmore compõe thrillers como os grandes mestres, e sua experiência de vida confere uma autenticidade que poucas vezes encontramos em suspenses policiais, vibrante e cruel — como a realidade.

Você também poderá gostar de

10 Comentários

  • Marília Leocádio

    Achei tudo lindo nesse livro e espero ter a chance de ler a editora realmente fez o seu melhor, acho que é um daqueles livros que prendem o leitor do começo ao fim com todo aquele clima de mistério no ar eu gosto muito disso e quero ler.
    Abraços!!!

    19 de junho de 2017 às 16:33 Responder
  • Caroline Garcia

    Estava vendo só opiniões positivas mesmo sobre a obra. Mas foi bom conhecer esse outro lado.
    Gostei bastante dos seus comentários, consegui enxergar melhor o que o livro tem a passar para os leitores.
    Confesso que o gênero não faz muito meu estilo de leitura, mas estou um tantinho curiosa sim.
    Espero conferir em breve, mas já não vou com tantas expectativas!
    Beijos
    Caroline Garcia

    21 de junho de 2017 às 21:39 Responder
  • rafaela

    Eu achei a premissa desse livro muito instigante, e fiquei curiosa pra saber mais desses casos que a Veronica pegou. Mas só de saber que a Veronica é fria, cruel e mentirosa, já acho que não vou gostar muito dela. Várias vezes eu também me pego gostando de alguns vilões, mas acho que esse não vai ser o caso com essa protagonista.
    A edição realmente é linda, mas acho que não iria gostar do livro.

    Beijos!

    23 de junho de 2017 às 14:18 Responder
  • laura

    nao gostei muito do genero do livro nem me chamou a atencao nem me deu muita curiosidade de ler o livro amo suas resenhas ela estao sempre otimais mais o livro nao foi muito comigo
    beijos

    25 de junho de 2017 às 19:51 Responder
  • pamela mendes

    Eu até tinha vontade de ler esse livro, pela sinopse e por essa capa. Mas já li algumas resenhas desse livro, e todas que li falam que também não gostaram desse jeito da Verônica, e pelo que você falou, eu acho também vou odiar ela. Acho o enredo do livro até interessante, mas não tenho vontade de ler por causa da protagonista =/
    Bjss ^^

    26 de junho de 2017 às 23:58 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna,
    Realmente as edições da DarkSide sempre ganham nosso coração. Gostei muito por se tratar de um suspense com investigação, mas uma pena que a personalidade de Verônica não convence.
    Beijos

    28 de junho de 2017 às 13:44 Responder
  • Marta Izabel

    Oi, Krisna!!
    Gosto muito dos livros da Darkside pois são muito caprichadas e bem bonitas!! Fiquei muito interessada na história mesmo que não curta muito a protagonista.
    Beijoss

    29 de junho de 2017 às 02:20 Responder
  • Karoliny Morais

    Sou louca para ler este livro, acho a premissa dele fascinante, além de ser uma edição maravilhosa .
    bjus

    30 de junho de 2017 às 15:11 Responder
  • Milena Moreira

    Hey,

    Já li diversas resenhas desse livro e cada vez fico com mais vontade de ler, já tá na minha lista a um tempinho, infelizmente ainda não tive a oportunidade de ter ele mas espero mudar isso logo.

    30 de junho de 2017 às 22:40 Responder
  • Carolina Oliveira

    Que pena que vc n gostou tanto do livro. Gosto do genero, mas acho q esse dai n entra na minha listinha. De qlqr forma tbm gostei mta edicao, está bem bonita!

    1 de julho de 2017 às 02:15 Responder
  • Deixe uma resposta