Siga nossas redes:

Resenha – As Cordas Mágicas

Publicado em 14 de dezembro de 2016
- Sem classificação

Livro: As Cordas
Mágicas | Autor: Mitch
Albom | Lançamento: 2016 | Editora: Arqueiro

Páginas: 352 | Classificação do
Skoob:
4,6 | Onde comprar: Amazon |
Saraiva
*E-book do
acervo pessoal
As Cordas Mágicas
é o último livro de Mitch Albom publicado por aqui, ele é autor de obras como, A última grande lição e As cinco pessoas que você encontra no céu.
 Suas histórias costumam falar sobre o
sentido da vida e são capazes de promover reflexão sobre diversos aspectos da
nossa existência. Não é o tipo de leitura que costuma agradar a todos, mas até agora
não me decepcionei com nenhum de seus livros. Hoje foi falar sobre o que achei
ser o melhor trabalho do autor.

 A
obra conta a história de Francisco, um menino que fora abandonado para em
seguida ser adotado por um comerciante de sardinhas. Percebendo diversas
dificuldades enfrentadas pelo filho, e imaginando que deveria proporcionar ao
pequeno garoto de 6 anos a possibilidade de desenvolver suas habilidades
musicais, o pai de Francisco contrata um velho violonista cego para ensinar ao
garoto como tornar-se músico. Claro que o fato de o menino ter um talento
incomensurável e uma musicalidade singular o ajuda a cair nas graças do
artista, que não enxerga com os olhos, mas que vê com o coração. E ele vê em
Francisco um prodígio, e por isso ensina a ele tudo o que sabe.
“Eu
tenho o poder de fazer você recordar-se das coisas. Absorvo suas memórias;
quando me ouve, você revive as lembranças. Uma primeira dança. Um casamento. A
canção que tocava quando você recebeu uma grande notícia. Nenhum outro talento
proporciona uma trilha sonora para a sua vida. Sou a música. Marco o tempo”.
Se
a gente soubesse somente isso sobre o livro imaginaria uma história sobre
música, superação, recheada de clichês e que não seria, nem de longe, um dos
melhores livros que poderíamos ler na vida, certo? Imaginem minha surpresa
quando, sem achar a sinopse espetacular e sem me apaixonar perdidamente pela
capa, me vi presa em uma das melhores histórias que tive o prazer de ler esse
ano.
O
livro é narrado em terceira pessoa e começa no velório do protagonista, que
morreu de maneira suspeita. Para explicar o que de fato aconteceu com ele, do
início ao fim da vida, temos uma narrativa que viaja entre passado e presente,
alternando pontos de vista. Em determinados capítulos temos a fala de pessoas
que viveram momentos muito significativos com o protagonista, e nos outros temos
observações feitas pelo talento que o dominou do início ao fim, a música.

“Testemunhei
governos desse tipo antes. Seus cidadãos sempre têm o mesmo aspecto. De cansaço.
Olhando de relance de um lado para o outro. E lutando contra o medo constante e
sufocante”.
Isso
mesmo, a música é a narradora principal deste livro e a escolha não poderia ter
sido mais acertada. Esse talento fala sobre a trajetória do pequeno Francisco,
que em dado momento tornou-se Frankie Presto, um dos maiores artistas que o mundo
conheceu. A narrativa é ambientada em diversas partes do mundo, todas ligadas
ao cenário musical da época: Espanha e seus grandes violonistas, muitos deles
silenciados pela guerra. Londres e os Beatles, Nova York e New Orleans
com todo o poder do Blues e Jazz, e por aí vai.  
A
música fala sobre o surgimento de um gênio, sobre o poder do talento na vida de
alguém, sobre as circunstâncias boas e ruins que são transformadoras do ser
humano. Fala sobre todas as dificuldades enfrentadas para alcançar seus
objetivos e fala também sobre como os objetivos podem mudar num piscar de olhos.
Mas, acima de tudo, a música e a história do livro falam sobre o amor e seu
poder de renovação, que é mostrado através de um protagonista musicalmente
genial, com o poder de mudar o destino das pessoas utilizando suas cordas
mágicas.

“Todos
os humanos são musicais. Por que outro motivo Deus daria a vocês um coração
pulsante?

Mitch
Albom deu vida ao protagonista através do depoimento de diversas pessoas reais,
icônicas, que entrelaçaram suas histórias às de Frankie Presto. Marcus
Belgrave, famoso e muito importante no cenário musical do Jazz; Darlene Love, incrível
cantora Norte Americana; Roger McGuinn, um dos maiores guitarristas de todos os
tempos, e muitos outros musicistas fantásticos, aparecem no livro como
personagens que tiveram, de alguma forma, sua vida tocada por Frankie.
Através de seus depoimentos o leitor embarca em uma viagem cheia de mistérios,
emoção, cultura, surpresas e fantasia. 

“TALENTO
É UM PEDAÇO DA SOMBRA DE DEUS. E, DEBAIXO DESSA SOBRA, as histórias humanas
entrecruzam-se”.
Sabem
qual é uma das melhores partes desse livro? A obra tem uma trilha sonora super eclética e especial
(disponível no Spotfy). Esse é um livro que entrou para meu Top 5 do ano.
Talvez por conta disso eu pense que nenhuma resenha será capaz de mostrar o
quanto ele merece ser lido. Experienciado. Ouvido. Se você gosta de livros
musicais, se você curte histórias capazes de tocar o coração de maneira mágica,
esse livro é para você. 

    
Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra
civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de
um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que
sabe.

Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando
consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas
mágicas.
Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie
rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século
XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e
Little Richards.
No entanto, seu dom se transforma em um terrível
fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda
de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada.
No auge do
sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie
sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e
misterioso adeus.

Você também poderá gostar de

11 Comentários

  • Aricia Aguiar

    Amei sua resenha! Me deixou com muita vontade de ler o livro. Imagina ler algo narrado pela música, deve ser excepcional. Sem contar na grande habilidade do autor. Sem dúvidas vou procurar e adicionar a meta de 2017!
    Outro ponto a se ressaltar, é o último quote que vc grifou, eu apenas adorei!
    " Todos os humanos são musicais. Porque outro motivo, Deus lhes deu um coração pulsante?"
    Amei!

    18 de dezembro de 2016 às 01:28 Responder
  • Mari Magalhães

    Eu não canso de amar a capa desse livro. Sério, antes da resenha eu fiquei boba por alguns minutos só observando essa gracinha. No momento eu estou encantada novamente, mas agora pela obra e pela resenha. Nossa, eu nunca ouvi falar do autor até agora, mas já quero ler as obras dele correndo! Aliás, quem poderia imaginar a música como narradora? Que ideia genial! Ah, Amei a resenha.

    colecoes-literarias.blogspot.com

    19 de dezembro de 2016 às 00:11 Responder
  • Morgana Brunner

    Krisna que livro mais lindo menina, fico feliz que tenha sido o último da série, assim quem sabe eu possa comprar, ler e tirar minhas próprias conclusões, parabéns pela sua resenha que ficou demais.
    Beijinhos da Morgs!

    19 de dezembro de 2016 às 11:50 Responder
  • Beta Oliveira

    Que livro bonito! Eu confesso que não imaginei que ele teria tantos desdobramentos! Parabéns pela resenha, ficou ótima!

    19 de dezembro de 2016 às 15:43 Responder
  • Suzana Chaves Linhares

    Olá! Nossa, fiquei encantada com a história! E ser narrada pela música, que diferente e lindo! Deve ser uma história encantadora, que mexe conosco. Já anotei aqui e tenho certeza que vai pular na frente de muitos livros, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    19 de dezembro de 2016 às 19:43 Responder
  • Elay Lopes

    Olá, adorei a capa do livro e saber que ele é narrado pela música me encantou ainda mais, fiquei bem curiosa para entender melhor a história, amei as citações e adorei o post. =)

    Beijos

    19 de dezembro de 2016 às 22:44 Responder
  • Gaby Cunha

    Olá!! Apesar de não com muita frequência esse tipo de livros, realmente gostei muito da sua resenha! Fiquei com vontade de experimentá-lo em sua totalidade como você! Obrigada pela dica, foi p/ a lista de desejados de 2017! Bjs
    https://literakaos.wordpress.com/

    20 de dezembro de 2016 às 19:08 Responder
  • Cila - Leitora Voraz

    Oi Krisna, sua linda, tudo bem?
    Que linda história!!! Estava louca para ler alguma opinião sobre ele, é a primeira resenha que eu encontrei. Essa capa é linda, delicada e sensível como o livro parece ser. Gostei muito da forma como ele foi escrito, a partir de depoimentos de pessoas que de alguma forma tiveram contato com o músico e falaram sobre ele. Ter depoimentos de pessoas reais, e do mundo da música, foi uma jogada de mestre do autor. Fiquei louca para ler o livro, a impressão que tive é que ele é mágico!!! Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    22 de dezembro de 2016 às 11:47 Responder
  • Carolina Ramires

    Olá!
    Não conhecia ainda nem a obra e o autor, mais fiquei com uma impressão muito positiva de tudo, ainda mais por conta desse mistério em volta da morte do protagonista. Adorei a sua dica!
    Beijos.

    22 de dezembro de 2016 às 20:00 Responder
  • Ju

    Gosto muito de histórias que falam sobre o sentido da vida e promovem reflexão. Esse livro vai ser meu primeiro contato com a escrita do autor e espero curtir, tomara que ele toque meu coração como tocou o seu, me parece uma história linda.

    30 de dezembro de 2016 às 15:17 Responder
  • Mary Pires

    Oiii.
    lendo a premissa e a resenha percebi que quase não leio livros nesse estilo, mas adorei o fato de ter uma play list, amo essa combinação de livros e música.
    Amei seu post ♥
    Abraços Mary.

    4 de janeiro de 2017 às 00:55 Responder
  • Deixe uma resposta