Siga nossas redes:

Resenha: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo

Publicado em 2 de novembro de 2016
- Sem classificação
Livro: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo| Autor: Benjamin Alire Sáenz
Lançamento:
2014 | Editora: Seguinte | Páginas: 392 |Classificação do Skoob4,5
Onde comprar: Amazon | Cultura
*Livro do acervo pessoal
Gosto
de leituras sensíveis. Gosto de livros capazes de nos apresentar de maneira
muito particular a temática que se propõe a seguir. Quando uma amiga indicou
esse livro, logo após eu ler e comentar sobre Apenas um garoto (outro livro que fala sobre descobertas e homossexualidade),
eu imediatamente adquiri meu exemplar. Uma sinopse encantadora, uma capa
bonita, uma indicação de alguém em quem confio, pois tem gostos semelhantes aos
meus. Queria mais o quê pra iniciar a leitura? Nada.

A narrativa se passa em 1987 e conta a história de dois jovens de quinze anos, Ari e Dante. Muito
diferentes entre si, têm em comum pontos importantes: são descendentes de
mexicanos, mas não se identificam muito com algumas características de seu povo.
Além disso, são solitários, pois têm personalidades incomuns em garotos dessa
idade. Cada um carrega questionamentos acerca da vida, sobre pessoas queridas,
sobre quem eles desejam se tornar, sobrem quem eles são de fato.  Eles se encontram e nasce uma amizade. A
relação dos dois é permeada de muito humor, mas também de uma melancolia
singular.   
Ari
tem um relacionamento mais distanciado da família. O pai voltou diferente da
guerra, vive fechado no seu mundo. A mãe, embora muito carinhosa, mantém
questões e segredos escondidos relacionados ao filho mais velho que está na
prisão. Essa falta do que dizer, essa necessidade de manter silêncio e uma ideia
de não pertencimento, transformam Ari num garoto ora agressivo, ora apático.
Sempre muito fechado. Aos poucos a gente percebe que essas são características que
o adolescente mais demonstra, mas que por baixo dessa capa de durão existe um
menino cheio de dúvidas que não expõe facilmente, de questionamentos que não se
possibilita fazer, de sentimentos que não se permite demonstrar. Mas que é um
ser humano incrível.

Dante
é basicamente o oposto de Ari: é um garoto sensível, apaixonado pela família e
com uma facilidade extrema para demonstrar o que sente. Seja através do carinho
que troca com os pais, através do sorriso sincero ou das atitudes, talvez
impulsivas, mas repletas de sentimentos. Avesso a usar sapatos, é apaixonado
por literatura e um artista nato. Um ser humano bondoso, teimoso e que encontra
em Ari tudo aquilo que precisava: um amigo verdadeiro.
A
amizade entre eles vai se solidificando com o passar do tempo e dos
acontecimentos. Embora morem perto, precisam passar um tempo separados. Durante
esse período em que ficam longe um do outro, muitas coisas acontecem, entre
elas a descoberta da sexualidade e do mundo que vai além daquele controlado
pelos pais. E o foco do livro acaba sendo justamente esse: todas as descobertas
e o emaranhado de emoções que fazem parte da adolescência. A parte boa e a ruim.
O que aproxima as pessoas e fortalece os laços, e a parte que afasta entes
queridos e os deixa apenas na memória.

 “Outro segredo do universo: às vezes, a dor era como uma tempestade que vinha do nada. A mais clara manhã de verão podia acabar em temporal. Podia acabar em raios e trovões”.

Esse
é um livro que, através de diálogos muito inteligentes, irônicos, e às vezes mal
humorados, permite ao leitor experimentar diversos sentimentos. É sutil, e na
sua sutileza emociona e toca o coração de quem lê. É muito simbólico, e através
da história de dois garotos a gente percebe (ou relembra) que ser adolescente não é fácil.
Que ser humano, e ter que lidar com escolhas difíceis, preconceito, perdão e
liberdade, não é algo que vem sem esforço. Pelo contrário. O livro mostra que
ser humano é complicado e dolorido, mas que vale a pena.

É um livro que indico
para quem gosta de uma leitura capaz de emocionar, de inquietar, de tocar o
coração. A temática gay está presente e o autor aborda o tema com tanta
delicadeza e sentimento, que a gente se identifica. Isso porque, antes de
termos uma orientação sexual, nós somos gente, somos seres humanos. Certo? 

 “Às vezes acho que não quero descobrir o que penso de verdade. Não faz sentido, mas faz muito sentido para mim. tenho essa teoria de que sonhamos porque pensamos em coisas sem termos consciência de que estamos pensando. E essas coisas, bem, elas nos assombram nos sonhos. Talvez sejamos como pneus cheios demais. O ar precisa escapar. Os sonhos são isso”.

Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem
dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por
poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho,
que está na prisão.

Um garoto como Dante, com um jeito tão único
de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras
que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo
surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos,
risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem
que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos
do Universo.

Você também poderá gostar de

20 Comentários

  • Dea G.

    Amei a resenha! Linda e delicada, como o livro. Que bom que gostou tanto quanto eu. Beijos

    2 de novembro de 2016 às 17:38 Responder
    • Krisna Carvalho

      Ah, eu amei! Obrigada pela sugestão, fiquei bemntocada com a história.

      Bj

      3 de novembro de 2016 às 10:46 Responder
  • LiteraKaos

    A resenha ficou fofa!!
    O livro parece ser bem leve e lindo.
    obrigado pela dica! <3

    #Ana

    LiteraKaos!

    2 de novembro de 2016 às 21:18 Responder
  • Daniele Vieira

    Olá
    Gostei muito da resesnha, mas ando com uma ressaca muito forte de livros para o publico adolescente, esse negócio de descobertas, bulling, ser ou não ser fácil, já não me atrai mais e, para falar a verdade, até ne irrita.

    3 de novembro de 2016 às 09:04 Responder
    • Krisna Carvalho

      Olá Dani! Tudo bem?

      Às vezes a gente se sente assim mesmo, dependendo do livro. Esse, embora fale sobre dois garotos de 15 anos, promove reflexão para leitores de qualquer idade. Mas decerto é necessário uma disposição pra embarcar na leitura, e abertura pra receber a história de braços abertos. Eu, Como amo literatura infantil e infanto juvenil, tenho super vontade desse tipo de livro. Mas se você não gosta e se irrita, melhor passar longe mesmo e talvez buscar livros que ofereçam personagens com idade mais avançada (mas se tratando de maturidade, idade nem sempre é boa referência, vide livros com adultos que só fazem merda rs)

      Beijos e obrigada pela visita.

      3 de novembro de 2016 às 10:52 Responder
  • Livros & Tal

    Oie!
    Gostei muito da sua resenha, doce e delicada. Gosto de livros emocionantes e inteligentes. Não tenho o menor problema com a tematica em ser homosexual ou não.
    Não me lembro de outras resenhas se li desse livro, mas a sua já conseguiu me convencer

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    4 de novembro de 2016 às 20:47 Responder
    • Krisna Carvalho

      Mayara, é um livro tão sensível e conta a história de uma amizade/amor tão bonito… vale a pena.

      9 de novembro de 2016 às 11:29 Responder
  • Flora Literária

    Oi, Krisna!

    Gostei muito do enredo desse livro, adoro essas historinhas de adolescentes, haha! Parece ser um livro delicado e leve, o que só me atraiu ainda mais. A capa tá linda também, com certeza vou adicionar à minha lista. Sua resenha tá um amor, obrigada pela dica!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    5 de novembro de 2016 às 02:21 Responder
    • Krisna Carvalho

      Belle, que comentário mais cheio de amor! Obrigada pela visita! 😙

      9 de novembro de 2016 às 11:30 Responder
  • Leticia Golz

    Oi, Krisna
    Nunca tive muita vontade de ler esse livro, mas não descarto a possibilidade, pois assim como você adoro histórias sensíveis e jovens.
    Vejo tantos elogios que quem sabe um dia eu me anime mais.
    Que bom que curtiu.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    6 de novembro de 2016 às 15:01 Responder
    • Krisna Carvalho

      Letícia, tudo bem? O bacana desse livro é que, embora conte a história de dois adolescentes, abirda questões que são humanas, ou seja, independem da idade. Fácil se identificar por isso 😉

      Beijo

      9 de novembro de 2016 às 11:32 Responder
  • Livreando

    Oi Kris,
    Apesar de achar a capa desse livro linda, a história não é encantou como eu gostaria. Já tentei ler, mas a leitura não me envolveu e se tornou até maçante em certos momentos para mim. Mas que bom que sua experiência foi diferente, acho que no meu caso, foi mais o fato do livro está na hora e local errado.
    Bjim!
    Tammy

    8 de novembro de 2016 às 17:48 Responder
    • Krisna Carvalho

      Tammy, tudo bem?

      A gente tem disso mesmo, né? A leitura conquista (ou não) dependendo do momento que o livro chega em nossas mãos. Te entendo.

      Beijo

      9 de novembro de 2016 às 11:33 Responder
  • Coleções Literárias

    Esse é um livro com uma boa premissa e capa maravilhosa, mas poucas pessoas comentam sobre ele. Nunca me interessei pelo livro e por mais que sua resenha esteja linda e muito bem escrita ainda não consegui querer ler o livro, infelizmente, pois os pontos positivos são grandes.
    Adoro livros com diálogos inteligentes e irônicos, acho que seria algo que eu iria curtir e saber que o livro desperta em nós diversos sentimentos também me deixa feliz, mas não senti ainda aquela vontade de lê-lo.
    ótima resenha e amei as fotos,.

    9 de novembro de 2016 às 18:52 Responder
  • Bianca Santana

    Quero muito, muito ler esse livro. Acho a história interessantíssima e a capa é um espetáculo!
    Tb amo leituras sensíveis, que passam a história de forma tocante, com mensagens que nos fazem pensar e levar pra vida.
    Bjk

    10 de novembro de 2016 às 16:34 Responder
  • Gabriela Cerqueira

    Olá, adorei sua resenha, ela realmente passou que esse é um livro lindo, fofo e tocante, e me matou de vontade de ler, ainda mais com personagens gays,me deu mais vontade de fazer a leitura, irei colocar na lista de desejados.

    13 de novembro de 2016 às 18:28 Responder
  • Cila - Leitora Voraz

    Oi Krisna, sua linda, tudo bem?
    Todos elogiam a delicadeza desse livro, já vi várias pessoas inclusive dizendo que foi uma das melhores leituras que fizeram. Infelizmente, tudo o que é diferente ameaça, assusta. Mas o engraçado é que somos todos um, ser humano. Por que então é tão difícil e complicado respeitar? Parece ser uma linda história sensível que irá me emocionar com certeza!!! Vou colocar na minha lista. Sua resenha ficou ótima!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    14 de novembro de 2016 às 21:32 Responder
  • Licavargas

    UAU!!!!!!
    Eu estou aqui um tempão pensando no que eu posso comentar depois de uma resenha tão linda e delicada como a sua. É a primeira vez que me deu vontade mesmo de ler o livro.
    Eu já tinha um certo interesse em ler, mas os pontos que você comenta, a sutileza que o livro trás e essa coisa de a gente lembrar que não é fácil tomar decisões que irão nos acompanhar e afetar o resto da vida me deixou querendo – e muito – ver a forma com que o livro aborda isso.
    Se antes era só uma curiosidade, depois da sua resenha me parece que tenho a necessidade de ler esse livro! Obrigada pela indicação dessa forma tão linda 🙂
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    15 de novembro de 2016 às 00:03 Responder
  • Blog São Tantas Coisas

    Olá, ironias e dialogos cheios de sarcasmo são pontos que me faria ler este livor, vi também que os personagens conseguem envolver o leitor dentro do enredo. Vou anotar a dica.

    30 de novembro de 2016 às 23:29 Responder
  • Deixe uma resposta