Siga nossas redes:

Resenha – Achados & Perdidos

Publicado em 5 de dezembro de 2016
- Sem classificação

Livro: Achados
& Perdidos | Autora: Brooke
Davis  | Lançamento:
2016 | Editora: Record

Páginas: 252 | Classificação do Skoob: 3,7 | Onde comprar: Walmart 
| Saraiva
*Livro do acervo pessoal
Olá,
pessoal!
A
resenha de hoje é sobre um livro que promete ser “uma história que fará você
rir, chorar e se sentir um pouco mais sábio”. Não conhecia a autora, mas me
apaixonei pela capa e pela sinopse dessa obra e por isso resolvi arriscar.

 Achados & Perdidos
é um livro que fala sobre perda. Narrado em terceira pessoa, a história vai
mostrando acontecimentos do passado e presente dos três protagonistas. Vai
esmiuçando aqueles momentos importantes que foram responsáveis por tornar cada
um dos personagens do jeitinho que eles nos são apresentados. E a partir daí
deixa o leitor na expectativa sobre qual papel será desempenhado por cada uma
das pessoas da trama.
Em
determinado momento o caminho dos três protagonistas se cruza. Dois velhinhos e
uma jovem menina saem em busca de uma mãe que sumiu, mas acabam encontrando
muito, muito mais. Como eu disse, acredito que esse seja um livro sobre perdas:
pessoas queridas, um grande amor, o sentido da vida, a vontade de viver, a
própria identidade, um bicho de estimação. Mas acredito que, muito mais do que
isso, é um livro sobre encontros, sobre possibilidades de ser.

Essa
é uma história que rasga a ideia de estereótipos e junta protagonistas
completamente improváveis: uma menina abandonada, cheia de questionamentos e que
demonstra uma sabedoria espantosa; um velhinho digitador que perdeu o seu grande
amor e decidiu viver tudo o que tem vontade, mesmo que para isso precise
quebrar algumas regras; uma senhora ranzinza e melancólica que há anos vive uma
rotina na qual ela é a única protagonista. Há tempos vive uma vida que perdeu o
sentido. Os três se juntam e atravessam cidades, conhecem pessoas legais (e
outras nem tanto), dirigem em alta velocidade, atacam delinquentes e constroem uma
amizade capaz de preencher muitos espaços vazios.

 

Para
falar sobre a relação que se estabelece entre esse trio improvável, a autora
construiu uma narrativa que enlaça o leitor e o joga em uma montanha russa de
sentimentos. A gente ora se diverte e se emociona com a sensibilidade de
pessoas que só querem ser amadas e entendidas. Em outro momento sente raiva e
desconforto por conta das atitudes grosseiras e egoístas que chegam e nos
surpreendem, mas em seguida a gente sente o coração encher de amor e esperança,
pois percebe que a vida pode ser vivida e que o amor pode ser presente em
qualquer momento. Em qualquer idade. Por qualquer motivo.
A
edição está simples, mas não deixa em nada a desejar. A fonte em tamanho maior
permite uma leitura confortável. A capa é linda, e na orelha a gente pode ler
um pouco mais sobre cada um dos personagens. Um livro que é bonito por fora,
mas que surpreende mesmo é pelo conteúdo singular.
“Havia
apenas o nada. No mundo da pontuação, ele podia bem ser um hífen – flutuando entre
uma coisa e outra, não exatamente necessário”.
“Mas
a gente devia poder abraçar todas as mães que não são nossas, porque algumas
pessoas não têm mãe – e o que vão fazer com todos os abraços que elas têm?”
Sinopse: Millie Bird é uma garotinha de apenas 7 anos que já sabe muita coisa.
Ela já descobriu que todos nós um dia vamos morrer. Em seu Livro das
Coisas Mortas, ela registra tudo o que não existe mais. No número 28 ela
escreveu “Meu Pai”. Millie descobriu também, da pior forma possível,
que um dia as pessoas simplesmente vão embora, pois a mãe dela, abalada
com a morte do marido, a abandona numa grande loja de departamentos. Ela
só não está triste porque conheceu Karl, o Digitador, um senhor de 87
anos que costumava digitar com os próprios dedos frases românticas na
pele macia de sua mulher. Mas, agora que ela se foi, ele digita as
palavras no ar enquanto fala. Ele foi colocado pelo filho em uma casa de
repouso, porém, em um momento de clareza e êxtase, ele escapa,
tornando-se então um fugitivo. Agatha Pantha é uma senhora de 82 anos
que mora na casa em frente à de Millie e que não sai mais, nem conversa
com ninguém, há sete anos. Desde que o marido morreu, ela passou a viver
num mundinho só dela. Agatha preenche o silêncio gritando, pela janela,
com as pessoas que passam na rua, assistindo à estática na televisão e
anotando em seu diário tudo o que faz. Mas, quando descobre que a mãe de
Millie desapareceu, ela decide que vai ajudar a menina a encontrá-la.
Então, a adorável garotinha, o velhinho aventureiro e a senhorinha
rabugenta partem em uma busca repleta de confusões e ensinamentos, que
vai revelar muito mais do que eles imaginam encontrar.

Você também poderá gostar de

20 Comentários

  • Daniele Vieira

    Olá
    Sempre fico indecisa com esse livro até ler a parte dos idosos daí me dá uma vontade enorme de ler, acho que seria lindo acompanha-los, ver que a vida só acaba no fim e que eles podem ter sua 'aventura' deve ser bem bonito.

    5 de dezembro de 2016 às 15:12 Responder
  • Morgana Brunner

    Querida que livro mais lindo é esse? Confesso que fiquei apaixonada e encantada principalmente pela sua imagem, ficou linda demais! Dica super anotada e espero um dia desses poder ler.
    Abraços

    5 de dezembro de 2016 às 19:47 Responder
  • Três Livrólatras

    Oi, tudo bom?

    Eu sou louca para ler esse livro, já vi a partir da sua resenha que vou chorar muito. E essa capa é maravilhosa!

    Beijos:*
    Treslivrolatras.blogspot.com

    6 de dezembro de 2016 às 00:02 Responder
  • Beta Oliveira

    Oi, Krisna! Eu fiquei balançada por este livro, mas tive medo de ser uma história triste e estou precisando de tramas para cima, positivas. As suas palavras me animaram a dar uma chance a ele. E parabéns pelas fotos, ficaram lindas – a primeira é maravilhosa! Beijos!

    6 de dezembro de 2016 às 01:52 Responder
  • Rosana Gutierrez - Livrólogos

    Oi
    Eu tive impressão diferente ao ler a sinopse, mas vejo pela sua resenha que é um livro que merece ir para lista de leitura.
    Gostei das fotos tb.
    Bjss

    6 de dezembro de 2016 às 03:26 Responder
  • Camila

    Nossa, Kris.
    Que resenha linda! Senti todo o seu carinho pelo livro através do seu texto e fiquei emocionada! Agora quero muito ler essa história!!
    Obrigada!
    Beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

    6 de dezembro de 2016 às 16:04 Responder
  • Leticia Golz

    Oi, Krisna
    Esse livro deve mesmo fazer jus aos comentários positivos, todos elogiam dessa maneira o livro. Adoro tramas cheias de sentimentos e reflexões sobre o amor. Acho que ia amar esses personagens e a maneira com que se relacionam. Já queria muito ler esse livro. Adorei sua resenha.

    6 de dezembro de 2016 às 16:56 Responder
  • Memórias da Cat

    Amei sua empolgação pela história, já imaginava que seria uma história que falasse sobre perda pelo título: achados e perdidos, inclusive que eu acho que tem tudo haver. me empolguei para ler ele, espero que tenha a oportunidade em breve. beijos

    6 de dezembro de 2016 às 19:20 Responder
  • Fernanda Yano

    Oie Kris!!

    Já leu??
    Eu adorei a sinopse desse livro e a capa, inclui nos meus desejados! Não conhecia antes e essa é a primeira resenha que leio. Amei!!
    É mais do que pensei, adoro quando é um turbilhão de sentimentos, e com certeza quero ler.
    Parabéns pela resenha!

    bjs

    7 de dezembro de 2016 às 12:45 Responder
  • Beatriz Andrade

    Eu acho a premissa desse livro muito interessante e acredito que alguns momentos da leitura sejam muito emocionantes. Gosto bastante da capa e gostei de conferir sua opinião sobre a obra.

    8 de dezembro de 2016 às 01:31 Responder
  • Amanda Mello

    Acho a capa desse livro muito amor, um trabalho maravilhoso da editora Record. Ele já estava na minha lista de desejados, mas ao acabar a sua resenha senti uma vontade enorme de ter ele aqui comigo já para iniciar a leitura e conhecer esse trio! <3 HiSTÓRIA PERFEITA pelo jeito! <3 <3 <3 Espero amar!

    8 de dezembro de 2016 às 02:44 Responder
  • Denise Bordignon

    Oi, puxa, que interessante!

    Não conhecia o livro, não é um estilo que eu procure sabe, mas olha, eu gostei da premissa!!!!

    Vou procurar por ele, com certeza!

    Bjs

    8 de dezembro de 2016 às 12:54 Responder
  • Rafael Botter

    Olá! Esse é um daqueles livros que você começar ler em um sábado chuvoso, gostei muito do estilo e pela sua resenha ficou bem claro todos os pontos sem dar spoilers, já vou tentar ler esse livro, mesmo que seja por ebook.

    10 de dezembro de 2016 às 12:24 Responder
  • Ana Paula Lima Miranda

    Oiii!!!

    Eu não li esse livro ainda mas ele tá aqui na estante.
    Quero muito conhecer o enredo. É a primeira resenha que eu leio e pude perceber que houve uma sensibilidade da autora pra com a obra.

    Gostei!

    Beijinhos

    11 de dezembro de 2016 às 18:21 Responder
  • carool santos.

    Olá, tudo bem? Confesso que sua resenha me deixou confusa rs Acabei de ler uma que falava que a leitura não é nada demais, e vem a sua e acontece isso. Ainda não sei qual meu veredicto final de ler ou não, mas foi bom ver dois pontos de vistas diferentes. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    11 de dezembro de 2016 às 19:53 Responder
    • Krisna Carvalho

      Oi, Carol!

      Também li resenhas negativas sobre essa obra. Acho que o lance é que a leitura tem dessas coisas mesmo. A mesma obra toca os leitores de maneira diferente, nada é unanimidade. O que a gente acha do livro depende muito do nosso momento, da subjetividade, gostos pessoais, etc. Eu, particularmente, achei a história muito sensível e humana. Mas é questão de gosto mesmo.

      Acho que a dica que fica é: se faz sentido pra você, experimente. Daí você chega a uma conclusão sua, seja ela boa ou ruim 😉

      Obrigada pela visita!

      Beijo

      12 de dezembro de 2016 às 18:18 Responder
  • Coleções Literárias

    Olá.
    Antes de qualquer coisa preciso elogiar seu lado fotografa, pois fiquei babando com as fotos que vc tirou, ficaram lindas.
    Estou com esse livro aqui e muito curiosa para lê-lo, parece ser realmente um livro lindo, sua resenha me deixou ainda mais animada, acho que vou amar a história, pois além do livro ter uma capa linda a premissa é maravilhosa. Os quotes que você escolheu também são lindos e a resenha ficou muito boa.

    12 de dezembro de 2016 às 21:30 Responder
  • Graziela Bonora Lancellotti

    Olá, tudo bem?
    Esse livro está na minha lista de leituras urgentes.
    Eu amo essa capa e digo que sua resenha, aumentou mais a minha curiosidade em descobrir como vai acabar essa história.

    Abraço

    http://www.viciadosemleitura.blog.br/

    17 de dezembro de 2016 às 19:00 Responder
  • Mayara Milesi

    Oie Krisna!
    Ah menina que livro é esse? Como eu não o conhecia? Que mundo eu vivo!?
    Adorei a resenha, a capa e a premissa desse livro que sem dúvidas parece ser realmente incrível!

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    19 de dezembro de 2016 às 21:15 Responder
  • Livros & Tal

    Olá, tudo bem?

    Achei a premissa bem interessante, mas pelas forma com que você apresentou o livro, tive a sensação de que é aquele tipo que faz a gente refletir e muito, e nesse momento não estou muito boa para entrar numa vibe mais profunda, mas estou anotando a dica, de verdade, porque costumo gostar bastante desse tipo de livro.

    Beijo!
    Ana.

    21 de dezembro de 2016 às 18:49 Responder
  • Deixe uma resposta