Siga nossas redes:

O que eu achei de – Anne With “e”

Publicado em 23 de junho de 2017
- Adaptação, Netflix

SÉRIE ESPECIALMENTE INDICADA PARA pessoas interessadas em releituras de clássicos, para quem gosta de narrativas sensíveis que abordam o dia a dia e os questionamentos de pessoas comuns, mas não menos especiais por isso.  É uma história que pode ser apreciada por pessoas de qualquer idade, e recomendada para momentos em que queremos algo mais fofo e cheio de amor.

A dica de hoje é a série Anne with ‘E’, um lançamento do mês de maio da Netflix que no início não coloquei muita fé, mas quando assisti ao primeiro episódio logo me apaixonei pela protagonista.A série que me lembrou bastante o livro Pollyana, de Eleanor H. Porter. Porém, a série é inspirada no livro Anne of Green Grables, escrito por Lucy Maud Montgomery. Quando conhecemos Anne, logo percebemos que ela não pode ser comparada a qualquer outra pessoa. Dona de uma personalidade forte e com uma aparência inconfundível, aqueles que conhecem a mocinha não resistem e acabam caindo em sua graça. Mas não se engane, ela pode ter uma aparência frágil, mas isso é a última coisa que ela é.

A série aborda bastante o “abuso” relacionado à exploração do trabalho infantil. Sabemos que naquela época esse tipo de comportamento era considerado algo comum, mas o que de fato não imaginamos é o efeito que isso podia ter sobre as crianças, principalmente para aquelas que passavam por isso desde muito jovem. Para os órfãos era ainda pior, pois muitos sabiam que deveriam ser amados e protegidos, e desejavam isso mais que tudo. Mas no fim das contas essas crianças eram vistas como uma espécie de “faz tudo”, pois comumente as pessoas que as adotavam não tinham a intenção de acolher e tê-las como membro de sua família, mas sim usá-las como uma mão de obra barata.
Desde cedo Anne passou por vários lares adotivos e sentiu esse tipo de exploração na pele, pois muitos naquela época a escolhiam e usavam apenas como uma cuidadora de crianças, uma empregada. O que me fez ficar bastante emocionada em algumas cenas pelas situações que ela teve que enfrentar.
Quando os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert decidem adotar um menino para ajudar nas atividades diárias da fazenda – ambos são mais velhos e já não dispõe da mesma força e agilidade – mas ao invés de um garoto recebem por engano uma menina ruiva magricela, percebemos que às vezes alguns erros podem acabar se transformando nos melhores acertos. Nessa jornada em um novo lar, a garota irá enfrentar algumas dificuldades no início, até mesmo o bullying. Algo que pensamos ser muito atual, mas que já existia desde aquela época.
Marilla de início mostrou-se resistente quando a menina apareceu em sua casa, mas Matthew logo ficou com o coração mole com a nossa pequena grande menina. Isso porque quando se trata de Anne, não posso deixar de falar da sensibilidade enorme que ela possui em tratar de coisas banais como se fossem a descoberta de algo incrível. O exemplo disso é quando Marilla fala para ela sobre a importância de rezar, ensinando-a o Pai Nosso, Anne fica incrivelmente tocada, recitando-o com tamanha devoção que é impossível não se sentir cativado.
Mas mesmo tendo ganhado o coração dos seus acolhedores, Anne ainda terá que buscar a aprovação do pessoal da vila… As pessoas muitas vezes podem se mostrar mais egoístas e insensíveis do que imaginamos. Mas Anne, com sua esperteza e peculiaridade, mostrará que nada é impossível. A prova disso é quando ela mesma se põe em risco em um incêndio para salvar as pessoas.
O que chamou minha atenção na série também, foi a maneira que ela buscou retratar assuntos que as pessoas evitavam falar na época, a exemplo da menstruação, em que os homens “evitavam” a todo custo qualquer contato quando a mulher encontrava-se nessa fase, acreditava-se que era algo que deveria ser guardado e evitavam tocar no assunto.
Os episódios duram cerca de quarenta minutos cada um, sendo o piloto com uma duração de uma hora e trinta minutos mais ou menos, a primeira temporada já se encontra disponível no Netflix, ao todo são sete capítulos. Se você gostou da ideia da série, ou se busca algo que é ao mesmo tempo divertido e sensível, corre lá na Netflix! Esta série sem dúvidas é um excelente programa para família neste fim de semana!

 


Série: Anne with “e”
Criadora: Moira Walley-Beckett
Distribuição: Netflix/CBC Television
Temporada:
Duração: 60 min cada episódio
Sinopse: Depois de treze anos sofrendo no sistema de assistência social, a órfã Anne é mandada para morar com uma solteirona e seu irmão. Munida de sua imaginação e de seu intelecto, a pequena Anne vai transformar a vida de sua família adotiva e da cidade que lhe abrigou, lutando pela sua aceitação e pelo seu lugar no mundo.

Você também poderá gostar de

12 Comentários

  • Lili Aragão

    Oi Isabelle, eu assisti Anne assim que a Netflix lançou e amei, é realmente muito delicada e bonita a história dela e fiquei com aquela vontade de mais e de conhecer tudo dessa história, livros, filmes e por ai vai… Já quero a sequência <3 As lembranças de Anne são bem tristes de se ver e imaginar como muitas crianças sofriam e ainda sofrem por conta de maus tratos :/ Em contrapartida a mudança que ela promove na vida dos irmãos e da vizinhança é linda <3 Curti a dica e a série vale muito a pena 😉

    25 de junho de 2017 às 12:47 Responder
  • rafaela

    Eu comecei a assistir essa série ontem mesmo. Até agora eu só assisti o primeiro episódio, mas adorei ele. A Anne realmente é super diferente, e é impossível comparar ela com outro pessoa. Achei ela super forte, e eu adorei ela! Eu não li o livro, mas achei a série muito boa, e com certeza vou continuar assistindo 😀

    Beijos!

    25 de junho de 2017 às 15:10 Responder
  • Caroline Garcia

    Parece ser uma história linda demais e super emocionante né!?
    Já fiquei completamente encantada só de ler os seus comentários rs
    E fiquei curiosa pra saber como os irmãos vão lidar com ela e como será que essa fofa vai passar por tudo e encantar a todos.
    Já está anotadinho o nome da série e assim que assistir minhas séries atrasadas rs, vou começar essa <3
    Sinto que vou gostar bastante e me apagar essa personagem.
    Beijos
    Caroline Garcia

    25 de junho de 2017 às 16:23 Responder
  • laura

    parece ser linda ahistoria vou ler primeiro o livro depois vou para a serie ja vi a resenha em outros blog mais gostei muito de como voce escreve parabens
    beijocas e ja adicionei na lista a historia desta ruivinha 🙂

    25 de junho de 2017 às 19:42 Responder
  • Marília Leocádio

    Estou louca para assistir a série mesmo não conhecendo os livros eu acho que vou gostar mas acho que vou preferir ler o livro primeiro.
    Até mais!!!

    26 de junho de 2017 às 13:38 Responder
  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Isa,
    Não conhecia essa série mas adorei a dica. Bacana retratar temas polêmicos como trabalho infantil. Gosto muito de série que se passam no passado.
    Beijos

    26 de junho de 2017 às 14:31 Responder
  • pamela mendes

    Essa série é muito boa! Eu assisti todos os episódios em um fim de semana hahaha
    Gostei muito da historia, e amei a Anne, ela se tornou uma das minhas protagonistas favoritas <3
    Só é uma pena que a temporada seja tão curta, mas amei todos os episódios =D
    Bjss ^^

    28 de junho de 2017 às 01:43 Responder
  • Marta Izabel

    Oi, Isabelle!!
    Comecei assisti essa série sem expectativa nenhuma e fiquei encantada pela a história da Anne!! Espero que sai logo a segunda temporada e enquanto isso quero muito ler o livro!!
    Beijoss

    29 de junho de 2017 às 02:39 Responder
  • Karoliny Morais

    Eu ainda não vi a série , mais agora já vou cheia de amores para ver. achei a historia linda . E que saia muitas temporadas .
    bjus Isabelle

    30 de junho de 2017 às 14:58 Responder
  • Milena Moreira

    Hey,

    Lembro de já ter visto o livro na biblioteca da minha escola mas nunca li, também a série na netflix mas ainda não assistir, depois dessa resenha fiquei até curiosa pra assistir.

    30 de junho de 2017 às 22:49 Responder
  • Carolina Oliveira

    Assim que vi a serie no catalogo da netflix fiquei com vontade de assistir. Dps dessa resenha inclui já na minha listinha para maratonar 🙂

    1 de julho de 2017 às 01:54 Responder
  • Eveline Balestre

    Eu já assisti a primeira temporada inteira, e eu simplesmente AMEI, quero muito que saia mais temporadas

    4 de julho de 2017 às 01:05 Responder
  • Deixe uma resposta