Siga nossas redes:

Crítica – Fragmentado

Publicado em 28 de março de 2017
- Sem classificação
 Filme: Fragmentado
| Título Original: Split | Direção: M. Night Shyamalan | Lançamento: 03/ 2017  Distribuição: Universal Pictures | Duração: 1h57min
É possível dizer que,
finalmente, Shyamalan está de volta! Assisti ao filme Fragmentado e, caramba, que filme! Uma mistura surpreendente de
realidade e ficção que prende o espectador na cadeira do início ao fim.

A atuação de James
McAvoy me convenceu desde o começo. Não é qualquer ator que pode ser
considerado capaz de interpretar diversos papeis em um mesmo trabalho – vamos usar
de sinceridade aqui, tem ator que mal interpreta UM personagem de maneira
digna! Mas ele? Ah, ele fez isso com maestria.
Em Fragmentado conhecemos Kevin, um rapaz aparentemente comum, mas que
sofre de TDI – transtorno Dissociativo de Identidade. Indivíduos com esta
condição apresentam duas ou mais personalidades distintas que podem tomar o
controle do comportamento da pessoa. Essas personalidades podem apresentar diferenças
de gênero, visão de mundo, crenças, valores, aspectos físicos e muito mais.
Agora vamos imaginar o que é uma mente ser habitada por 23 personalidades… Podendo
ser agressivas, manipuláveis, frágeis, homicidas, insanas… Pois é. Este é
Kevin.

“Há
momentos em que duas identidades… podem assumir, se manifestar, ou ganharem
consciência ao mesmo tempo.”

O filme começa com uma
dessas personalidades tomando controle e sequestrando três garotas. Os motivos do sequestro vão sendo desvendados aos poucos, conforme cada
alter ego se mostra e conta um pouco da história que vai tomando forma a cada
cena. E é aqui que McAvoy mostra o quão brilhante é. Ele transita de maneira fantástica
entre personagens bons e ruins, com outros transtornos associados ou não, sendo
homens ou mulheres, adultos ou criança… Gente ou bicho. 

Mas não é só ele que dá
um show de interpretação. Anya Taylor-Joy se destaca como uma das jovens
sequestradas, Casey. A garota tem um passado sombrio e dramático, e deixa transparecer
toda a dor emocional que sente através dos olhares, sempre tão expressivos e
exigentes, seja nos acontecimentos durante o sequestro ou através de flashbacks
que volta e meia surgem na tela. Betty Buckley da mesma forma, interpreta de
maneira brilhante a Dra, Fletcher, uma terapeuta que leva muito a sério os
transtornos mentais; acredita não só no sofrimento psíquico do indivíduo, mas
também nos desdobramentos negativos que eles podem acarretar caso não sejam
estudados e compreendidos.

“Não
há limites para o que ele pode se tornar”

Neste filme eletrizante
e dramático, Shyamalan mistura realidade e ficção, sanidade e loucura,
misticismo e fantasia. Tudo isso temperado com uma trilha sonora muito
condizente com a proposta do longa, ou seja, tensa. Só por causa de toda essa
mistura o filme já valeria a pena, mas, para minha surpresa, o diretor não
parou por aí. É impossível falar além disso sem soltar spoilers, o que seria um
pecado neste caso, mas deixo a dica: deem uma olhada na filmografia desse
indiano e fiquem atentos. Esse não foi o começo dessa ideia de falar sobre
condições reais e pouco exploradas… E, pelo visto, pode ser que não pare por
aí. O plot twist no final deixa isso muito claro.
Assista ao trailer do filme: 

Você também poderá gostar de

4 Comentários

  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Krisna!
    Quero muito assistir, realmente deve ser bem perturbador e eletrizante. 23 personalidades!! Realmente deve ser uma pessoa bem complexa de ser interpretada. Assistirei com toda certeza.
    Beijoss

    28 de março de 2017 às 13:33 Responder
  • Thais Bueno

    Confesso que fiquei com medo só de ver o trailer e não tenho coragem de assistir! Mas fico muito feliz em saber que a atuação de James McAvoy foi brilhante, adoro o trabalho dele.

    Beijos,

    28 de março de 2017 às 21:27 Responder
  • Ana Luisa Ricardo

    Assustador isso, hein? Não sei se tenho coragem de ver.

    28 de março de 2017 às 22:00 Responder
  • Girlene Viey

    James McAvoy é ator incrível mesmo, fiquei super feliz que atuação dele foi boa na sua visão, porque ainda não assistir, quero esta lendo o livro primeiro.
    Enfim, super animada quando assistir o trailer, parece ser filme perfeito do inicio ao fim

    29 de março de 2017 às 15:23 Responder
  • Deixe uma resposta