Siga nossas redes:

Romance de Época

Resenha – Os mistérios de Sir Richard (Quarteto Smythe-Smith 4)

Publicado em 12 de maio de 2017
- Arqueiro, Editoras, Resenhas, Romance de Época

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA quem já acompanha as aventuras do Quarteto Smythe-Smith, para quem gosta de romance de época e para quem é fã da Julia Quinn. Ideal para ler em momentos que buscamos  uma história leve, fofa e sem grandes dramas.

Os Mistérios de Sir Richard é o quarto livro da série Quarteto Smythe-Smith, e veio para fechar com chave de ouro. É uma mistura linda de amor, perdão e boas risadas! Julia Quinn inovou e com certeza conquistou a todos que se entregaram a essas quatro histórias da série.

Iris Smythe-Smith, é a irmã mais quieta de todo o quarteto. Calada, muito reservada, porém observadora. Nos recitais é quem toca violoncelo, e por sinal sabe manuseá-lo com uma certa habilidade…  Não podemos falar o mesmo das outras irmãs tocando instrumentos, não é mesmo?

Uma vez, o pai tinha dito que ela era uma estrategista nata, sempre dois passos à frente, e talvez por isso Iris sempre valorizava a escolha do momento certo para se pronunciar.

Engraçado que quando eu estava comentando sobre o livro com a Gabi, ela teve a impressão que a Iris era uma das personagens mais sarcásticas e quietas do quarteto. Para mim a  impressão que ficou ao terminar o livro é que ela se tornou minha mocinha predileta da série.
Uma das características mais marcantes de Iris, de fato, é seu comportamento mais fechado. Mas não se deixem enganar, dentro desta mulher há uma força incrível e uma característica que admiro bastante, o auto controle! A sabedoria em pensar antes de agir, o que muitas vezes pode ser difícil para alguns de nós. Mas Iris sabe mostrar no decorrer da história o quanto ter esse controle de si mesma é importante.

 Porém, as coisas mudam um pouco quando Sir Richard chega  em Londres, causando um “alvoroço”  na sociedade e na vida de Iris. De início eu não conseguia entender quais eram suas intenções, qual o grande segredo que Richard carrega… Isso nos faz ficar com uma pulga atrás de orelha. A necessidade de encontrar uma noiva, no início me deixou feliz e aflita ao mesmo tempo, pois quando a sua atenção se direciona para Iris, sabia que a moça poderia sair de algum modo ferida.Mesmo estando com um pé atrás, Iris não consegue resistir às investidas de Richard. Muitas vezes sua razão gritava para ela pensar antes de se jogar e se entregar aos encantos, mas ela acaba cedendo cada vez mais… Claro que o charme do tal senhor também ajuda na causa.

Ela encara com uma intensidade desconcertante. Seus olhos eram escuros, quase negros, e pela primeira vez na vida ela entendeu o que significava poder se afogar nos olhos de outra pessoa.

No início não consegui identificar que tipo de personagem era o Sr.Richard.  Todo o comportamento dele é focado em conquistar Iris, que vai se deixando ser cativada pela atenção que ele direciona à ela. Sempre passando despercebida pelas suas características físicas, que geralmente não chama a atenção de ninguém, mas aos olhos Richard, que vê o que todos não veem, ele só encontra perfeição em Iris.
No decorrer da história meu apreço pelo homem foi aumentando aos poucos, apesar da minha desconfiança. Não posso afirmar que ele se tornou um dos meus personagens favoritos na série. Acho que as atitudes dele, para que pudesse alcançar o seu objetivo final… Não justifica o que acontece com Iris. Apesar de entender totalmente ele e a sua situação, os meios para mim, não justificaram os fins.
Com tudo que enfrentaram, Iris com certeza jamais será a mesma. Com as situações que ela teve que passar, ela amadurece, torna-se mais forte e acima de tudo, mantém a sua essência. Isso é o mais bonito de ver, pois apesar de tudo ela mantém aquilo que tem de mais puro dentro de si: o amor.
Outra personagem que aparece na história desse casal e que está também presente em nas outras histórias da série, é a Frances! Quando fala-se o nome dessa pequena a primeira coisa que me vem à mente é: unicórnio! A criança me rendeu boas risadas nos momentos em que aparece no livro. Julia Quinn com toda certeza, inovou! Trazendo uma pitada de diversão e a pureza que há na imaginação da nossa querida Frances.
Os Mistérios de Sir Richard foi um livro que demorei para iniciar a leitura… Mas acho que a demora compensou na surpresa que tive com a história. Um mistério, uma solução através de um casamento às pressas, um coração machucado, o nascer de um amor e um pouco de humor!  Um livro com uma leitura envolvente, onde tive a oportunidade de conhecer a Iris, quieta porém intensa e Richard, misterioso porém extremamente dedicado àqueles que ama.

 Livro: Os mistérios de Sir Richard
Autora: Julia Quinn
Lançamento: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Sinopse: Sir Richard Kenworthy tem menos de um mês para encontrar uma esposa. Ele sabe que não pode ser muito exigente, mas quando vê Iris Smythe-Smith se escondendo atrás de seu violoncelo no musical anual das Smythe-Smith, Richard acha que conheceu alguém muito valiosa. Ela é o tipo de mulher que passa despercebida até a realização de um segundo ou terceiro olhar de outra forma. Mas há algo nela abaixo da superfície, algo quente e ele sabe que ela é única. Iris Smythe-Smith…Ela está acostumada a ser subestimada, com seu cabelo claro e tranquila, mas há uma personalidade astuta que ela tende a esconder, e ela gosta dessa forma. Então, quando Richard Kenworthy se aproxima com galanteios e flertes, parece suspeito.
Dando a impressão de um homem que se rende ao amor, mas ela. não pode acreditar que tudo é verdade. Quando sua proposta de casamento se torna uma situação comprometedora obrigatória, você não pode deixar de pensar que há algo escondido por trás disso. . . mesmo que o seu coração diz sim

Resenha – Codinome Lady V

Publicado em 24 de abril de 2017
- Gutenberg, Romance de Época

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA quem está em busca de começar uma nova série, com histórias independentes em cada livro. Para quem gosta de romance de época com uma pitada hot ou tem interesse em conhecer mais sobre o gênero. Ideal para ler quando o desejo é uma narrativa engraçada, sensual e gostosa, com toda a leveza que um romance desse estilo costuma oferecer.

 Olá, pessoal! Vamos falar sobre mais um romance de época? A dica de hoje é especial, porque de certa forma surpreende mesmo utilizando temas e características sempre encontradas em livros do gênero. Codinome Lady V chamou minha atenção pela história bem construída, tradução bem feita e diagramação impecável. Neste caso até o título – que não tem nada a ver com o original – fez toda a diferença e combinou demais com a obra.

A história se passa em 1858 e a princípio fala sobre a dificuldade da protagonista para encontrar um marido. Ah, não se enganem, ela recebe muitos pretendentes!  Mas todos interessadíssimos no dote extraordinário que ela tem.  Acontece que ela quer mais, ela sabe que merece mais. Minerva Dodger quer que alguém a corteje, mas precisa ser alguém que a aceite com toda a sua inteligência e língua afiada. Ela quer ser amada e aceita por quem é, e não pelo dinheiro que tem. Ela quer amor e respeito acima de tudo. Mas em uma sociedade machista e oportunista, o que sobra é pretendentes interesseiros querendo ocupar este posto. Até que Minerva se contenta com a possibilidade de tornar-se uma solteirona… Mas isso não significa que ela queira deixar para lá as experiências carnais. Pelo contrário.

Por trás de uma máscara que esconde boa parte do seu rosto, e usando um vestido de seda que deixa pouco para a imaginação, Minerva se transforma em Lady V e parte para o lugar onde todas as fantasias sexuais podem se tornar realidade. O clube Nightingale é um ambiente pensado para permitir envolvimentos amorosos sob a segurança do
anonimato. A identidade das senhoras não é revelada, e pouco se fala sobre o público que costuma estar por ali. Mas o que está claro é o seguinte: entre quatro paredes, tudo é permitido. E essa possibilidade de devassidão é o que Minerva quer experimentar.

 Nada ali era sagrado, exceto o privilégio de se fazer o que quiser.

O Duque de Ashebury é um frequentador assíduo do clube Nightingale. Quem o vê em busca de pares de pernas inesquecíveis ou de lábios carnudos e sensuais, não imagina que não é apenas a possibilidade de copular que o leva até ali. Ele precisa de mais. Seu passado marcado por um acontecimento devastador, seu jeito aventureiro e a conta bancária recheada, o torna um dos partidos mais cobiçados de Londres, mas não é casamento que ele deseja. Lady V e Ashe se encontram no clube e despertam um no outro sentimentos e sensações que prometem os mais pecaminosos momentos. Após uma noite inesquecível, eles precisam de mais…

Acontece que Ashe não sabe quem é Lady V., e concomitante a isso ele descobre que seus investimentos financeiros não foram bem sucedidos, ou seja, o Duque está falido, e agora precisa encontrar uma forma de recuperar sua fortuna. É a partir deste momento que a história vai ganhando forma e encantando o leitor cada vez mais. Achei interessante a maneira que o relacionamento entre os dois foi se desenvolvendo, Minerva sabendo quem Ashe é, mas ele vivendo apenas com suspeitas da identidade daquela dama misteriosa. Achei super bacana construção da personalidade de Minerva, uma mulher inteligentíssima, dotada não somente de força física, mas de uma capacidade sem igual de se colocar e defender seus ideais. Ela foge de caçadores de fortuna e se recusa a ter um casamento sem amor. Enquanto ele precisa casar por dinheiro, mas não tira da cabeça toda a diversão que poderia ter na
companhia de Lady V. Quanta confusão!

Em Codinome Lady V  o leitor ganha uma história sobre a amizade, amor e superação. O livro intercala momentos divertidos e sensuais, mas sempre com tanta sutileza que de forma alguma encontramos uma cena vulgar. A mistura desses dois protagonistas e suas histórias tão distintas, junto com diversos personagens secundários que são hilários e ao mesmo tempo cheios de questões obscuras, transformam o livro naquele tipo de obra que costuma agradar aos fãs do gênero. Aqui a autora acerta quando coloca a protagonista em uma posição de tomar a iniciativa pela realização dos próprios desejos. Acerta também quando permite que Minerva faça parte de uma família que foge do padrão da época, e a aceita do jeito que é, além de incentivar suas ideias e decisões. Outro ponto positivo é introduzir de maneira muito coerente os personagens que fazem parte dos Diabos de Havisham. Aqui suas personalidades são pinceladas  de forma a atiçar a
curiosidade de quem lê.

O livro me agradou bastante. Acho que o único ponto que não gostei foi o tempo da narrativa. Penso que o romance demorou muito para desenrolar, e a partir de 80% do livro o ritmo ficou rápido demais. Isso deixou a sensação de que o final foi corrido, apressado, mas nem assim o livro perde seu brilho. Este é o primeiro volume da série Os Sedutores de Havisham. Os outros rapazes que fazem parte do grupo os Diabos de Havisham ganham a cena sempre que aparecem, e isso deixa a sensação de que os próximos livros tendem a continuar agradando aos leitores. Estou curiosíssima para saber o que vem por aí.

 


Livro: Codinome Lady V
Autor: Lorraine Heath
Lançamento: 2017
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Sinopse: Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.
Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas. Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.
Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

Resenha – A Promessa da Rosa

Publicado em 13 de setembro de 2016
- Nacional, Novo Século, Resenhas, Romance de Época

LIVRO ESPECIALMENTE INDICADO PARA fãs de romance de época, mas que estejam em busca de uma narrativa com alta carga dramática. Aqui o romance está presente, e temos todas as características de um romance de época de qualidade, mas não se enganem: este livro tem o poder de despedaçar corações. Para ler naquele momento em que uma história que aperta o coração se faz necessária, principalmente se a ideia é se apaixonar, desesperar, sofrer e ter esperança – tudo ao mesmo tempo.

 A resenha de hoje é sobre um romance de época nacional, que deixa muitos livros gringos no chinelo. Preciso dizer que muitas vezes vou contra a máxima que diz: não julgue um livro pela capa. Mea culpa. No que diz respeito aos livros, faço isso  vezes a perder de vista.

Continue Lendo